Palestra reúne memórias de viagens de africanos livres do Séc. XIX

Encontro com a especialista Lisa Earl Castillo acontece dia 29.08 e integra projeto #MusEuCurtoArte (Ipac/Secult/Funceb)  

Exibindo convite_20x20.JPG

Viagens feitas por africanos libertos no século XIX são relembradas na tradição oral do Terreiro da Casa Branca. Para viver essas memórias, o Palacete das Artes realiza a palestra Contatos entre a África e a Bahia no século XIX: Viajantes Atlânticos do Terreiro da Casa Branca, da professora- doutora Lisa Earl Castillo. A iniciativa faz parte do projeto #MusEuCurtoArte, de dinamização artística de museus, uma parceria entre a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB) e o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), órgãos da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). O encontro acontece neste sábado (29.08), às 16h. Acesso gratuito.

Diferente do imaginário popular, o contato entre a Bahia e a África não girava apenas em torno do tráfico de escravos. O fenômeno de viagens feitas por africanos libertos é relembrado pelo terreiro da Casa Branca, que sustenta ter sido fundado depois de uma viagem à África feita por duas sacerdotisas: a africana liberta Iyá Nassô e sua filha de santo e sucessora, Marcelina da Silva (Obatossi).

Lisa apresentará documentos históricos localizados no Arquivo Público da Bahia, os quais comprovam a veracidade do tema, e ainda revela sua relação com a Revolta dos  Malês e outros eventos sociopolíticos da época. A palestra da especialista integra a programação da exposição Bahia é África Também, da Coleção Claudio Masella, pertencente ao acervo do Solar Ferrão, da Diretoria de Museus (Dimus) e atualmente aberta ao público na Sala Contemporânea do Palacete.

O #MusEuCurtoArte é uma campanha que conta com ações de mediação, difusão e ocupação de espaços preservados pelo IPAC, com múltiplas possibilidades de ampliação de conhecimento. Este pensamento atende ao propósito de formação de indivíduos, prioridade para as ações da FUNCEB desenvolvidas por suas coordenações artísticas e pelo Centro de Formação em Artes (CFA). Esta linha de ação atende ao objetivo do programa de governo do Estado Educar para Transformar.

Sobre a palestrante: Bolsista de pós-doutorado do Centro de Pesquisa em História Social da Cultura, da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp, Lisa Earl Castillo possui graduação da Yale University (1983) e doutorado em Letras da Universidade Federal da Bahia (2006).  Sua tese, sobre a relação entre a tradição oral e o uso da escrita no universo religioso afrobrasileiro, foi publicada em 2008, sob o título Entre a Oralidade e a Escrita: a Etnografia nos Candomblé da Bahia. Suas pesquisas atuais focalizam a reconstrução de histórias de vida dos africanos libertos que fundaram os terreiros de candomblé mais antigos da Bahia, cruzando narrativas das tradições orais com pesquisa documental.

 

SERVIÇO

Palestra Contatos entre a África e a Bahia no século XIX: viajantes atlânticos do terreiro da Casa Branca

QUANDO: 29.08, 16h

ONDE: Palacete das Artes – Rua da Graça, 284

ACESSO: Gratuito

INFORMAÇÕES: www.palacetedasartes.ba.gov.br

CONTATOS: 71 3117 6910/6997

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s