Debate sobre Gentes Brasileiras marca a abertura da Flica

Exibindo IMG-20151015-WA0001.jpg

Os escritores Igor Gielow e Antônio Torres discutiram o tema,

em mesa mediada por Jorge Portugal

Durante cinco dias, de 14 a 18 de outubro, a cidade de Cachoeira, no recôncavo baiano, será a capital brasileira da Literatura. A abertura da Flica contou com uma discussão sobre o tema Gentes Brasileiras, sob a mediação do professor e compositor Jorge Portugal, secretário de Cultura do Estado da Bahia, que destacou o crescimento da Festa Literária Internacional de Cachoeira em sua quinta edição. “O Governo do Estado está determinado a tornar a Flica na maior festa literária do país”, afirmou. O público que lotou o claustro do Convento do Carmo assistiu à participação dos escritores Antônio Torres e Igor Gielow, que falaram sobre como se tornaram escritores, jornalismo, literatura e a inspiração para escrever.

O baiano Antônio Torres, escritor homenageado nesta edição da Flica, destacou a importância do seu lugar de nascimento: a pequena vila de Junco, hoje a cidade Sátiro Dias. “Nasci em um lugar onde nada existia e era o melhor lugar para nascer um escritor, porque você tinha que inventar, que imaginar como é o mundo”, afirmou. Igor Gielow defendeu a importância da leitura. “A gente tem que ler. Ler é uma espécie de declaração de amor e de guerra. A gente precisa entrincheirar-se com a leitura para lutar contra a superficialidade que está se espalhando pelo mundo”, disse o jornalista. Na quinta-feira (15), escritores como Tâmis Parron, Luiz Cláudio Dias Nascimento, João Paulo Cuenca, Lima Trindade, Martha Medeiros e Veronica Stigger participam das mesas da Flica.

Leia e Passe Adiante

A programação da SecultBA, através de suas unidades vinculadas – Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), Fundação Pedro Calmon (FPC) e Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) – na Flica segue nesta quinta-feira (15). Um dos destaques é a Campanha Leia e Passe Adiante (#LeiaePasseAdiante), que busca despertar de maneira lúdica o interesse pelo ato de ler, compartilhar leituras e livros e estimular a formação de uma rede de leitores, contadores de histórias e doadores de livros, potencializando as diretrizes que fundamentam a leitura como prática social. A Biblioteca Móvel e a Feira de Livros da Fundação oferecerão ao público três mil títulos literários, que estarão disponíveis à leitura e à compra, por preços módicos, a partir de R$5.

Às 15h, as Secretarias Estaduais de Cultura (SecultBA) e Educação (SEC), lançam 19 obras de literatura infantil, escritas por 16 autores baianos, no anfiteatro do Espaço Educar para Transformar. Os títulos serão distribuídos nas escolas públicas das redes municipais e estadual de ensino na Bahia, no âmbito do Programa Educar para Transformar – um Pacto pela Educação, que visa à melhoria da qualidade da educação. A iniciativa irá beneficiar mais de 332 mil crianças.

O Governo da Bahia distribuirá 798 mil exemplares para compor os cantinhos de leituras, em 21 mil salas de aula das escolas públicas. Além do lançamento dos livros, a SEC e a SecultBA vão lançar, neste mesmo momento, o segundo edital para seleção de mais 21 obras de literatura infantil de autores baianos. Estes livros também serão distribuídos para as escolas públicas, principalmente, para contribuir com a meta do programa Educar para Transformar, em parceria com os municípios, de alfabetizar as crianças até os oito anos de idade.

Já na Fliquinha, onde acontecerão atividades voltadas para as crianças, a cultura de matriz africana será apresentada às crianças no lançamento da Série de Lendas Africanas dos Orixás, de Edsoleda Santos, na quinta-feira (15), às 16h30, no Cine Teatro Cachoeira. A publicação foi contemplada pelo Edital de Editoras Baianas do Fundo de Cultura da Bahia, através da Fundação Pedro Calmon.

Infantil – No Espaço Leia e Passe Adiante (Praça da Aclamação), haverá um circuito de contação de histórias com a presença de projetos infanto-juvenis como O Boi Multicor, do educador Jorge Conceição, que resignifica os contos infantis de forma afirmativa, bem como do Livro Viajante, cuja proposta é criar e confeccionar, artesanalmente, livros em tamanho gigante. Terá também a presença dos contadores de histórias do Coletivo Amigos da Biblioteca Pública de Cachoeira e do Grupo Rouxinol, tudo pensado para que as crianças interajam com o livro e com a leitura. As contações serão acessíveis a todas as crianças, com tradução em Libras (linguagem dos sinais).

Autores Baianos – A Flica será o palco do lançamento de livros de autoras e autores baianos, como Sonia Rangel, Edsoleda Santos, Luiz Afonso Costa, Domingos Ailton, Tamires Lima, Luiza Helena Soares Pereira, Marcos Peralta e João Bosco Quirelli. Também durante a Festa, será lançada a 2ª edição Revista Bahia com História, publicação digital da Biblioteca Virtual Consuelo Pondédedicada à história da Bahia.

Mapa da Palavra – Na sexta-feira (16), às 10h, será lançado o Mapa da Palavra.BA, no Claustro do Convento do Carmo. O projeto, desenvolvido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia, tem como objetivos identificar artistas da palavra nos 27 territórios de identidade da Bahia e ajudar a divulgar suas produções.O anúncio acontece na abertura da mesa Versos Diversos, que irá reunir as autoras baianas Clarissa Macedo e Rita Santana. O projeto – que prevê o lançamento de uma plataforma virtual – também será apresentado na Sala Milton Santos, da Casa Educar para Transformar, no mesmo dia, das 11h às 14h.

Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix – Também no dia 16, às 14 horas, no claustro da Ordem 3ª do Carmo, será lançado o livro ‘Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix’. A publicação é uma adaptação do ‘Dossiê de Registro Especial’ que o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia elaborou para a proteção oficial de 10 terreiros em Cachoeira e São Félix, cidades do Recôncavo baiano, a cerca de 110 km de Salvador. São 244 páginas, mais de 250 fotos coloridas, mapas, ilustrações e infográficos.

Estarão presentes no lançamento o secretário Jorge Portugal, os prefeitos de São Félix, Eduardo Macêdo, e de Cachoeira, Carlos Pereira, além do diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira, autoridades federais, estaduais, municipais, personalidades locais e representantes de 10 terreiros da região. A Ordem do Carmo é uma edificação é do início do século XVIII, tombada como Monumento do Brasil desde 1938 e fica na praça central da cidade, próxima da câmara municipal.

Exibindo IMG-20151015-WA0003.jpg

Sobre a Flica – Nesta edição, o Governo do Estado ampliou sua atuação na Flica, com a participação articulada de diferentes secretarias e órgãos para o desenvolvimento de atividades relacionadas às áreas de educação, cultura e turismo. A maior parte da programação vai acontecer no Espaço Educar para Transformar, localizado em frente à Câmara Municipal de Cachoeira. Lá, o público poderá conferir lançamento de livros, exposições, contação de histórias e saraus, entre outros eventos. O governo também é um dos responsáveis pela viabilização da festa, através do programa de incentivos fiscais Fazcultura, uma parceria das secretarias estaduais de Cultura e da Fazenda.Oeventoconta, ainda, com patrocínio da Coelba e da Oi e apoio cultural da Oi Futuro, da Prefeitura Municipal de Cachoeira, do Sebrae, da Odebrecht e da Caixa.

FAZCULTURA – Parceria entre a SecultBA e a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o mecanismo integra o Sistema Estadual de Fomento à Cultura, composto também pelo Fundo de Cultura da Bahia – FCBA, CrediFácil Bahia (em parceria com a Desenbahia) além das linhas especiais de apoio, como os Pontos de Cultura e o Carnaval Ouro Negro. O objetivo é promover ações de patrocínio cultural por meio de renúncia fiscal, contribuindo para estimular o desenvolvimento cultural da Bahia, ao tempo em que possibilita às empresas patrocinadoras associar sua imagem diretamente às ações culturais que considerem mais adequadas, levando em consideração que esse tipo de patrocínio conta atualmente com um expressivo apoio da opinião pública.

Fotos: Rosilda Cruz

O quê: Programação da SecultBA na Festa Literária Internacional de Cachoeira – Flica

Quando: 14 a 18 de outubro de 2015

Onde: Município de Cachoeira, a 110 km de Salvador

Programação da SecultBA na Flica: www.cultura.ba.gov.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s