Diretoria de Museus homenageia Antônio Lomanto Júnior, falecido nesta segunda-feira (23)

 

 lomanto-junior-tinha-90-anos

A Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC), unidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), presta uma homenagem a Antônio Lomanto Júnior, último governador a residir no Palácio da Aclamação, antiga Residência Oficial dos Governadores, que veio a falecer na tarde desta segunda-feira (23), aos 90 anos.

“O Palácio da Aclamação Museu e Casa de Cerimonial recebe, hoje, o corpo do Ex-Governador Dr. Antônio Lomanto Júnior. Membros da família demonstram ter gratas recordações do período que aqui residiram, ou seja, de 1963 a 1967, ocasião em que hospedaram importantes autoridades”, acrescentou Ana Liberato, diretora da Dimus.

Lomanto foi governador da Bahia no período de 07/04/1963 a 07/04/1964, realizando em sua administração a construção de estradas, criação das Secretarias das Minas e Energia, do Comércio e do Trabalho, além da reconstrução do Teatro Castro Alves e inauguração do Teatro Vila Velha, localizado no Passeio Público.

Em 1967, o Governador transferiu a residência oficial do Governo para o Alto de Ondina, deixando o Palácio da Aclamação, após 55 anos como residência oficial. Desde então, o espaço já sediou despachos do governador, abrigou visitantes ilustres, a exemplo da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, em 1968, e se tornou museu em 1990. Atualmente funciona como sede da Dimus.

 

O PALÁCIO DA ACLAMAÇÃO

Antigo Palacete dos Morais, o solar oitocentista foi transformado em residência oficial dos governadores da Bahia em 1912, e passou por obras de ampliação projetadas pelo arquiteto italiano Filinto Santoro. Ocupado oficialmente por 22 gestores do Estado entre 1917 e 1967, o Palácio foi palco de significativos acontecimentos da história política e social da Bahia.

Com a transferência da residência oficial para o Palácio de Ondina, o espaço passou a sediar despachos do governador e abrigar visitantes ilustres, a exemplo da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, e o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo. Em 1990, após um amplo processo de restauração, se torna museu.

Atualmente, o museu passa por reformas e os espaços expositivos estão fechados para visitação. Em algumas de suas dependências, porém, são promovidos lançamentos literários, apresentações musicais, atividades socioeducativas, feiras e exposições de curta duração.

O Palácio da Aclamação integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s