IPAC vai proteger edificações para o Carnaval

SONY DSC

Até o final deste mês (janeiro/2016), o Instituto de Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) inicia a implantação de tapumes em prédios que estão sob a sua responsabilidade. A ideia é proteger as fachadas dos imóveis durante os oito dias de festas do Carnaval 2016 em Salvador. “Priorizamos imóveis do IPAC e da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA) onde existe intenso fluxo de pessoas e equipamentos carnavalescos, garantindo que esses patrimônios públicos edificados não corram risco de acidentes e depredação”, afirma o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira.

Na lista estão oito edifícios de grande mérito histórico-arquitetônico. O Teatro Castro Alves, administrado pela SecultBA, é um deles. “O TCA é o maior e mais bem equipado teatro da Bahia e um dos mais importantes do Brasil; inaugurado em 1958, o prédio modernista foi tombado como Patrimônio Cultural do Brasil em 2014, pelo IPHAN/Ministério de Cultura (MinC)”, relata João Carlos. O TCA fica no circuito ‘Osmar’, no Campo Grande.

08

PALACETE DAS ARTESO diretor do IPAC explica que os tapumes são feitos em madeira resinada, em placas de 2,10 X 1,20 metros e 18 milímetros de espessura. “O Palácio Rio Branco, sede da SecultBA, e o Palácio da Aclamação, sede da Diretoria de Museus (Dimus) do IPAC também serão protegidos”, complementa João Carlos. Aclamação fica no Campo Grande, e o Rio Branco na Rua Chile, Circuito Batatinha.

Já o Palacete das Artes, outro museu do IPAC localizado na Rua da Graça, terá tapumes de 10 milímetros fixados nos gradis já existentes no imóvel. Neste caso, serão protegidas ainda as réplicas do artista francês Auguste Rodin (1840-1917) no jardim do Palacete. O Museu de Arte da Bahia (MAB) do IPAC, no Corredor da Vitória, não terá tapumes pois já dispõe de estrutura definitiva, gerando, com isso, redução de custos.

04

ABAETÉ, LAURO e PLATAFORMASegundo o coordenador de Conservação Predial do IPAC, Fernando Calldeira, cuidado especial será adotado na fixação do arame nos gradis. “Essa ação preserva os gradis originais e facilita a retirada na desmontagem”, diz Calldeira. Serão necessários três dias para instalar em todos os prédios. Nos locais com calçadas em pedra portuguesa o IPAC fará um trabalho mais lento e especializado, repondo todas as peças retiradas. Equipe com 15 operários, um arquiteto e um engenheiro do IPAC farão a instalação. Tudo é retirado no turno vespertino da quarta-feira de Cinzas.

Mesmo estando fora dos circuitos mais famosos, outros imóveis da SecultBA necessitam de proteção, já que estão em locais de ‘festas de bairros’. Nessa lista estão a Casa da Música (Parque do Abaeté), o Cine Teatro Lauro de Freitas e o Centro Cultural de Plataforma. Nesses locais serão colocados tapumes de 10 milímetros com dobradiças, corrente e cadeado, já que são imóveis que necessitam de fluxo no período festivo. Mais informações na Copre/IPAC, via telefone (71) 3116-6720 e endereço eletrônico dipro.ipac@ipac.ba.gov.br. Fique informado ainda via site www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’ e twitter ‘@ipac_ba’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s