Emília Biancardi recebe Prêmio Berimbau de Ouro 2015

  Emília Biancardi recebeu o Prêmio Berimbau de Ouro 2015 (4)

A etnomusicóloga Emília Biancardi, idealizadora da exposição “Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi”, em cartaz no Centro Cultural Solar Ferrão (Pelourinho), recebeu o Prêmio Berimbau de Ouro 2015: Valorização e Reconhecimento. A premiação é destinada a agraciar personalidades que, direta ou indiretamente, se destacaram por contribuir para o fortalecimento e divulgação da capoeira. A cerimônia de premiação aconteceu em 19 de fevereiro, no Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador.

Além de sua coleção em cartaz no museu, Emília também realiza um trabalho junto à Orquestra Museofônica, projeto de sua autoria em parceria com Ana Liberato, diretora da Diretoria de Museus (DIMUS). Nascida em Salvador, Emília viveu sua infância e parte da adolescência em Vitória da Conquista, interior do Estado, o que lhe proporcionou os primeiros contatos com as manifestações populares que, desde então, a fascinavam. Em 1962 criou o grupo “Viva Bahia”, o primeiro e mais importante grupo parafolclórico do Brasil, na época. Com o grupo, levou para os palcos do mundo inteiro a materialização de incansável pesquisa do repertório musical afro-baiano.

Emília Biancardi recebeu o Prêmio Berimbau de Ouro 2015 (3)

Emília compõe músicas para balés e peças de teatro, aplicando os conhecimentos adquiridos através de pesquisas da música folclórica rural e urbana. Tem seis livros publicados (“Lindro Amo”, 1968; “Cantorias da Bahia”, 1969; “Viva Bahia Canta”, 1970; “Dança da Peiga”, 1983; “Olelê Maculelê”, 1990 e “Raízes Musicais da Bahia”, 2001), além de textos sobre a música tradicional publicados em livros e revistas no Brasil e exterior. Lançou três LPs pela Philips do Brasil (“Viva Bahia nº. 1”, “Viva Bahia nº. 2” e “Folclore Rural”) e um Cd pelo Club House Studio Germantown, Nova Iorque, EUA.

 

Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi

Coleção Emilia Biancardi ft. Lazaro Menezs (35)

A mostra apresenta um acervo com mais de mil peças coletadas e recriadas nos cinco continentes, com destaque especial para os instrumentos indígenas brasileiros, além dos africanos e afro-brasileiros. A exposição habita três salas na nova ala do museu, cujo acesso pode ser feito através da segunda portaria que ganha ainda salas de acolhimento e de iniciação musical.

Nesta mostra, o visitante tem a oportunidade de apreciar o acervo da colecionadora Emília Biancardi, dividido em três módulos temáticos: Instrumentos Musicais do Mundo, Instrumentos Musicais Indígenas e Instrumentos Musicais Africanos e Afro-Brasileiros.

Os instrumentos são apresentados de forma contextualizada ao lado de fotografias e legendas que permitem entender como são tocados. Além disso, os visitantes podem escutar, por meio de sonorização ambiente, sons emitidos por eles. Outro recurso presente na exposição é um vídeo (curta) mostrando um pouco do trabalho realizado por Emília Biancardi.

 

Serviço

Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi

Local: Centro Cultural Solar Ferrão – Rua Gregório de Mattos, Pelourinho

Visitação: Terça à sexta das 12h às 18h, fins de semana e feriados, das 12h às 17h

Entrada gratuita

 

A Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC) é uma unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s