ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA APRESENTA NESTA SEXTA-FEIRA A 1ª EDIÇÃO DO SEU “DESCONCERTO

OSBAEMCASA_2016 _Foto_Mauricio Serra 01

Foto: Mauricio Serra

A apresentação tem entrada gratuita e será realizada no Museu de Arte da Bahia

A Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) convida o público a conferir o “Desconcerto – Ensaios, fragmentos, música e poesia diante de um processo de desconstrução”, que será realizado pela primeira vez nesta sexta-feira, 04 de março, às 18h30, no Museu de Arte da Bahia (Av. Sete de Setembro, Corredor da Vitória), vinculado ao IPAC/SecultBA, com entrada gratuita. A apresentação terá regência do maestro Carlos Prazeres, atual curador artístico da OSBA, e contará com diversos músicos da orquestra como solistas, inclusive o próprio maestro.

Além de Prazeres (oboé), Eduardo Torres (teclado), Ana Zanata (violino), Diogo Pimentel (violino), Marcos Maciel (viola), Fernanda Monteiro(violoncelo), Josely Saldanha (trompa), Davi Brito (trompa), Antonio Carlos Portela (flauta), Solamy Oliveira (clarinete), Adelson Lemos (trompa),Ilza Cruz (fagote), Gustavo Seal (oboé) e Humberto Monteiro (percussão), realizam solos nesta apresentação. A OSBA é um corpo artístico que integra o Teatro Castro Alves e é mantido pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

A 1ª edição do Desconcerto da OSBA destaca em seu repertório as seguintes obras: Schwanenlied, de Fanny Mendelssohn (1805-1847); Sonata em Sib Maior BMW 1031 e Adagio, de J. S. Bach (1685-1750); Uma Brincadeira Musical e Divertimento nº 9, de W. A. Mozart (1756-1791); Suite nº 1, que compõe a trilha do espetáculo Peer Gynt, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906), com arranjo de Joachin Linckelmann; Instantâneos Folclóricos,de Raphael Baptista (1962-1995) e, por fim, Tico-Tico no Fubá, de Zequinha de Abreu (1880-1935), com arranjo de Carlos Anísio.

 

SERVIÇO:

 ORQUESTRA SINFÔNICA DA BAHIA (OSBA) APRESENTA: “DESCONCERTO – Ensaios, fragmentos, música e poesia diante de um processo de desconstrução

Regência: Carlos Prazeres

                   Solistas: Carlos Prazeres (oboé), Eduardo Torres (teclado), Ana Zanata (violino), Diogo Pimentel (violino), Marcos Maciel (viola), Fernanda Monteiro (violoncelo), Josely Saldanha (trompa), Davi Brito (trompa), Antonio Carlos Portela (flauta), Solamy Oliveira (clarinete), Adelson Lemos (trompa), Ilza Cruz (fagote), Gustavo Seal (oboé) e Humberto Monteiro (percussão).

 

Local: Museu de Arte da Bahia (Av. Sete de Setembro, Corredor da Vitória)

Data: 04 de março (sexta-feira).

Horário: 18h30

ENTRADA GRATUITA*

*Sujeita à lotação do espaço.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s