“Os territórios da Bahia devem se reconhecer como agentes culturais”, diz superintendente da SecultBA

Escola Cultural - Cachoeira_ft_Jefferson Vieira (5)

 “Os municípios e seus territórios de identidade devem se reconhecer como agentes de cultura fundamentais para a Bahia”. Com essas palavras o superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult) da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), Sandro Magalhães, abriu hoje (10) pela manhã, na Câmara Municipal de Cachoeira, a ‘Jornada Patrimonial’. Magalhães representou o secretário de Cultura, Jorge Portugal. O evento é realizado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) em parceria com a Sudecult/SecultBA. A programação será até sexta-feira (13), se alternando na câmara, auditório da Universidade Federal do Recôncavo (Ufrb) e cineteatro de Cachoeira.

Segundo Sandro Magalhães é fundamental que os agentes e produtores culturais, artistas, organizações não-governamentais e prefeituras municipais se organizem. “Podem ser em consórcios e outras modalidades para se levantar demandas e empreender novas concepções e ações da gestão cultural”, sinalizou ele. Para o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira, também presente na abertura do evento, a ideia do evento foi proporcionar um curso e treinamento de gestão patrimonial para os representantes territoriais da SecultBA. “Eles podem ser multiplicadores da política pública de proteção aos bens culturais baianos, sejam eles materiais ou imateriais”, ressaltou João Carlos.

Escola Cultural - Cachoeira_ft_Jefferson Vieira (3)

EDUCAR e PRESERVAREstiveram ainda presentes na solenidade, o secretário de Cultura e Turismo de Cachoeira, André Reis, o diretor de Preservação do IPAC, Roberto Pellegrino, dentre outras autoridades, estudiosos, pesquisadores e palestrantes. O superintendente da Sudecult destacou a capacidade executiva do IPAC. “Ficamos gratificados ao vermos a capacitação que a equipe do IPAC tem de transformar ideias importantes em ações concretas que beneficiam a política cultural, sendo um exemplo para outras instituições”, disse Sandro Magalhães.

À tarde foi realizado o curso patrimonial ‘Educar para Preservar’ pela técnica do IPAC, Daiana Sacramento, pós-graduada em Metodologia do Ensino pela Unifacs. Depois, visitas guiadas à Irmandade da Boa Morte e a monumentos da cidade. À noite, sarau literário no Espaço Pouso da Palavra Damário da Cruz. Amanhã (11), às 9h, acontece o curso ‘História Legislação e Modalidades’, com Roberto Pellegrino. Depois, oficina de fotografia ‘Patrimônio em Foco’ com Lázaro Menezes.

BEMBÉNa quinta (12), às 9h, o curso ‘Museus – preservação e memória’ com a museóloga Fátima Santos. À tarde, a ‘Oficina de Elaboração de Projetos’ com a coordenadora de Editais do IPAC, Ana Coelho. À noite, visita à Festa do Bembé, em Santo Amaro. No último dia (13), acontece o lançamento nacional do vídeo ‘Terreiros de Candomblé’ do IPAC, às 9h. Seguido da distribuição de certificados e a palestra ‘Conservação e Restauro de Bens Culturais’ com o diretor de Projetos e Obras do IPAC, Felipe Musse.

À tarde, visita à Fundação Hansen Bahia, e samba-de-roda com a sambadeira D. Dalva. Mais informações na Dipat/IPAC, via telefone (71) 3117-7498 e endereço dipat.ipac@ipac.ba.gov.br. Acesse o site www.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, twitter ‘@ipac_ba’ e instagram ‘@ipac.patrimonio’.

Confira a programação abaixo:

jornada-pogramacao

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s