Alunos do Colégio Estadual Azevedo Fernandes produzem História em Quadrinhos com a ‘Turma do Patrimônio’ do IPAC

 

quem somos_tempostal_08 de julho 2016_M

Integrando as atividades do Projeto “Quem Somos”, idealizado pelo LabDimus em parceria com o setor educativo do Museu Tempostal, serão realizadas Oficinas de História em Quadrinhos (HQ), direcionadas a estudantes do Colégio Estadual Azevedo Fernandes, localizado no Pelourinho. As oficinas tem como base a “Turma do Patrimônio”, personagens criados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), e acontecerão em três etapas: em 28/07, os alunos serão apresentados aos personagens e à parte teórica que irá ajudar a compor as histórias; em 02/08 será trabalhada a construção dos quadrinhos; e em 05/08 os HQs serão finalizados. A atividade acontecerá no LabDimus (Rua Gregório de Mattos, 39 – subsolo, Praça das Artes – Pelourinho), sempre às 9h.

Esta é mais uma etapa do Projeto “Quem Somos” que está sendo realizado pelo segundo ano com alunos do Colégio Estadual Azevedo Fernandes. Este ano, desde julho, os alunos estão realizando visitas às instituições (museus, igrejas, etc.) e espaços do Pelourinho, quando são levados a contextualizarem a nossa história através do seu próprio olhar, conhecendo e discutindo o patrimônio material e imaterial que lhe é apresentado. “A construção das histórias em quadrinhos será a contextualização do que foi visto, conversado e discutido, já que esses  mascotes são personagens educativos que representam este patrimônio”, afirma Cristina Melo, coordenadora do LabDimus.

Lançamento personagens

Crianças conhecem a “Turma do Patrimônio”

A “Turma do Patrimônio” é composta por oito personagens: Mestre Melaço, Dona Zefa, Gabriel e Galileu, Jonas, Lourdinha, Pelô e Zito, criados com o objetivo de auxiliar na mobilização e conscientização da população baiana em busca de atitude mais participativa para a proteção do rico acervo artístico, arquitetônico e cultural (material e imaterial) da Bahia.

 

O projeto

Idealizado pelo LabDimus (Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura) em parceria com o setor educativo do Museu Tempostal, o Projeto ‘Quem Somos’ une conhecimentos de história, cultura e patrimônio do Centro Histórico de Salvador, incentivando a valorização do local junto a estudantes do ensino Fundamental II do Colégio Estadual Azevedo Fernandes. Durante o projeto são realizadas visitas a diversos espaços culturais, levando cultura e vivência para além da sala de aula.

“É extremamente importante promover a valorização da história local e dos espaços culturais que são considerados dispositivos de inclusão social e cidadania. Por meio do desenvolvimento de atividades, podemos despertar o interesse do público para com a história do lugar em que vivem”, explica Ana Liberato, diretora da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC).

A coordenadora do LabDIMUS, Cristina Mello explica que o objetivo do projeto é estimular a comunidade a compreender, através do reconhecimento da sua história, o seu papel social, partindo de questões referentes à memória e identidade. “Perante um processo que inclui rodas de conversas, contextualização de obras de arte e heranças culturais, a atividade busca levar os jovens estudantes a elaborarem novos sentidos e significados  sobre fatos históricos, em que eles deverão chegar ao reconhecimento e valorização do Pelourinho, desenvolvendo um novo olhar sobre o passado e o presente. Conhecer o legado que nossos antepassados nos deixaram nos remete à reconstrução de nossa própria história e à prática da cidadania. Nesta perspectiva pedagógica, entendemos que a apropriação do conhecimento do patrimônio cultural de nossa sociedade por parte destes jovens, será um grande legado para o futuro, garantindo a sua valorização e preservação”, completa.

A professora de Língua Portuguesa da escola Adriana Santana (atualmente em licença-prêmio para concluir o mestrado ‘Saberes e Práticas de Letramento nas Escolas do Centro Histórico de Salvador’, pela Faculdade de Educação da UFBA) conta que este é o segundo ano de parceria neste projeto, justamente por conta do sucesso da edição realizada no ano passado. “Sentimos a necessidade de realizar o projeto Letramento, Identidade e Memória para desenvolver práticas de letramento social num trabalho inventivo de leitura e escrita visando formar leitores, escritores e falantes competentes na língua materna. Os alunos participantes do projeto vivem na comunidade do Pelourinho, por isso trabalhamos com os temas identidade e memória, a riqueza arquitetônica, cultural e histórica do local onde moram. Todo o trabalho terá como suporte leitura e produção de textos jornalísticos: notícia, reportagem, histórias em quadrinhos, editoriais, etc. e, com tudo isso, além de complementar o conteúdo e atividades da escola, ajudamos a melhorar a autoestima deles. No ano passado já percebemos uma diminuição na evasão escolar, um maior interesse pelos estudos e, principalmente, uma mudança significativa na atitude deles. Este trabalho, de cunho interdisciplinar tem como colaboradores as professoras Tânia (História), Anaceli e Rose Calli (Língua Portuguesa), Ivanise (Ciências) e conta com o apoio da Diretora Eliana Teles e a coordenadora Marluce”, declara.

 

 

Os espaços Dimus/Ipac

O LabDIMUS (Rua Gregório de Mattos, 39 – subsolo, Praça das Artes – Pelourinho) desenvolve atividades direcionadas às novas mídias digitais, propondo, executando e avaliando as oficinas que desenvolve. Buscando atividades com grupos escolares e público em geral, o LabDIMUS faz a interlocução entre as novas tecnologias e as coleções em exposição nos museus da DIMUS. Com isso, pretende manter o intercâmbio com as instituições de ensino de forma interdisciplinar, contribuindo para a melhoria da educação formal a partir da promoção de oficinas de interesse de professores e estudantes. As atividades integram as diversas linguagens da comunicação: sonora, visual, impressa e audiovisual.

O acervo do Museu Tempostal (Rua Gregório de Mattos, 33, Pelourinho) é composto por postais, estampas e fotografias, em sua maioria, procedentes da coleção de Antônio Marcelino do Nascimento. As peças, datadas do final do século XIX e meados do século XX, representam imagens de valor histórico, artístico e documental, não só da Bahia e do Brasil, mas também de diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas.

O LabDimus e o Museu Tempostal integram a DIMUS/IPAC, unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s