IPAC reabre a Praça das Artes na terça-feira (11) e estacionamentos no dia 14, no Pelourinho

Número de vagas dos estacionamentos no Pelourinho será ampliado com novo Estacionamento Jubiabá. O valor cobrado para primeira hora cai para R$ 7.

pc

Praça das Artes, Foto: Lázaro Menezes

Após procedimentos administrativos e técnicos, o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC) inicia nesta terça-feira (11) a reabertura de importantes equipamentos públicos no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador (CHS). Primeiro, a Praça das Artes, importante espaço de lazer e contemplação localizado entre a Ladeira do Ferrão, Rua Frei Vicente, Rua Gregório de Mattos e a Baixa dos Sapateiros (Av. J.J. Seabra).

A praça será reaberta às 15h de terça (11) com programação artística-educativa que inclui exibição de vídeos do Laboratório de Educação Digital da Diretoria de Museus (Dimus) do IPAC e apresentação itinerante da Fanfarra do colégio estadual Azevedo Fernandes, além de performances da Orquestra Museofônica – Afoxé Agogô de Lata, com participação especial do Balé Jovem e da Escola Olodum. Às 18h, marcando a campanha ‘Outubro Rosa’ que acontece em todo o país, o IPAC inaugura a iluminação cênica de casarões, árvores e jardins da Praça das Artes com luz em diversas tonalidades de rosa.

estado

Estado inicia serviços, Foto: Lucas Rosário

ESTACIONAMENTOS Além da praça, o IPAC reabre em seguida e simultaneamente, na sexta-feira (14), três estacionamentos no Pelourinho subindo a oferta de vagas da região para 296 automóveis e 60 motos nos três equipamentos, aumentando o conforto e segurança dos frequentadores. O primeiro estacionamento do IPAC fica abaixo da Praça das Artes – entre Baixa dos Sapateiros e Rua Gregório de Mattos – com 200 vagas para carro e 40 vagas para moto. O segundo, abaixo do Largo Pedro Archanjo, com entrada pela Rua Inácio Accioly, com 56 vagas para carro e 20 vagas para moto. Vinculado à Secretaria de Cultura (SecultBA), o IPAC fez contratação emergencial para administração dos equipamentos.

De acordo com o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira, as duas ações trazem serviços de qualidade essencial à melhoria do Centro Histórico de Salvador. “Temos que pensar essa área como estratégica para a cidade, tornando-a acessível, confortável e com serviços necessários para atender os baianos e turistas”, afirma João Carlos. Ele destaca que somente pensando a infraestrutura e a logística para o convívio urbano é que as cidades podem se transformar. “A requalificação desses equipamentos possibilitam, em última instância, mais uma possibilidade para o desenvolvimento econômico e promoção da inclusão social mediante a geração de empregos e de renda”, explica.

SERVIÇOS O IPAC realizou retirada de lixo e entulho, limpeza e lavagem de pisos, escadas e paredes, retelhamentos, retenção de vazamentos e infiltrações, além de religações elétricas, recapeamentos de pisos e paredes, fixação de cercamentos e grades, dentre outros serviços na praça e nas três áreas de estacionamentos de propriedade do Estado. “O nosso principal objetivo é proporcionar um espaço adequado para que a população de Salvador e turistas consigam estacionar com conforto e segurança, o que possibilitará melhor atendimento aos frequentadores da Baixa dos Sapateiros e do Centro Histórico como um todo”, diz o diretor geral do IPAC.

Na retomada de posse, no final de julho deste ano (2016), o IPAC encontrou os equipamentos depredados. Infiltrações, falta de manutenção hidrossanitária, inexistência de escoamento, ausência de lâmpadas e instalações elétricas comprometidas, disjuntores em desuso e falta de sistema de prevenção e combate a incêndio, além da inexistência de sinalizações, aparelhos extintores e outros equipamentos. Vários pontos das estruturas em concreto armado (lajes e vigas) comprometidos, ferragens em corrosão, desprendimento do concreto e portões metálicos danificados.

A manutenção será obrigação contratual da empresa cessionária dos serviços à população e estará ocorrendo no decorrer dos próximos meses. Prioriza-se assim a abertura, mas os serviços de melhoria continuarão. O IPAC quer que a nova administração dos estacionamentos pratique preços legais e acessíveis à população. A ideia inicial é de que a primeira hora tenha custo de apenas R$ 7.

estado-jpg-2

Foto: Lucas Rosário

ESTACIONAMENTO JUBIABÁDentro de um novo modelo de gestão, um novo vetor do CHS será atendido. Após a retirada de mais de quatro toneladas de materiais e entulho, o estacionamento abaixo do Largo Jubiabá será reaberto, atendendo com oferta de vagas a um importante vetor de ocupação do CHS: Carmo, Taboão e Santo Antônio. “Além dos estacionamentos Praça das Artes e da Rua Inácio Accioly, aumentamos o número de vagas para carros reativando o subsolo do Largo Jubiabá, localizado na Rua do Passo, próximo à Ladeira do Carmo, ao Largo do Pelourinho e à Baixa dos Sapateiros”, explica João Carlos. Com isso, a oferta de vagas oferecidas pelo IPAC sobe para 296.

O Largo Jubiabá também passará por processo de requalificação, atendendo importante demanda da comunidade local. Além do estacionamento aberto ao público, será mantido o uso institucional pelo um outro espaço no subsolo do Largo para utilização estratégica do 18º Batalhão da Polícia Militar, onde também são guardados os veículos da corporação. A reabertura do Largo Jubiabá, segue política implantada pelo IPAC nos últimos meses, visando a valorização dos espaços públicos do CHS e ampliação da ocupação deles para apropriação da população baiana. Em todos os espaços públicos sob a gestão do órgão estadual essa experiência participativa será replicada e ampliada.

O IPAC não é responsável direto pelo Pelourinho, mas entende como importante seu papel na aplicação de políticas públicas para preservação do patrimônio cultural baiano. A área é tombada pela União, via IPHAN/Ministério da Cultura, como Patrimônio do Brasil (1984), e chancelada pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade (1985). Mais informações, acesse: http://goo.gl/KP1E3Nhttp://goo.gl/FbCYqtwww.ipac.ba.gov.br, facebook ‘Ipacba Patrimônio’, instagram ‘@ipac.patrimônio’ e twitter ‘@ipac_ba’.

Anúncios