Metrô e IPAC comemoram aniversário de Salvador até 7 de abril com mostra itinerante

468 Salvador_ IPAC e CCR (8)

Hoje (30/03) a mostra itinerante está em exposição no Acesso Norte

Até o dia 7 de abril a mostra itinerante ‘Salvador 468 anos: uma viagem no tempo’ ocupa estações do Metrô na capital baiana. São 41 fotografias e textos em 10 painéis com 20 faces que contam a história do crescimento urbano da primeira capital do Brasil, fundada em 29 de março de 1549. A mostra fica até hoje (29) na estação de Metrô/Lapa. De 30 de março a 1º de abril, a exposição vai para a estação Acesso Norte, depois ela segue para Pirajá onde fica de 2 a 4 de abril e, finalmente, a estação Rodoviária, entre os dias 5 e 7. A iniciativa é da concessionária CCR Metrô Bahia com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC).

As fotos da exposição pertencem ao acervo do Museu Tempostal do IPAC, com a coleção do sergipano Antônio Marcelino (1929–2006), radicado e falecido em Salvador. “No Tempostal dispomos de 40 mil postais com imagens datadas do final do século XIX até meados do século XX que mostram grandes mudanças urbanas em Salvador”, explica o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira. Segundo ele, as imagens detêm grande valor histórico, artístico e documental, da Bahia, Brasil e outros países. “A ideia também é que as pessoas conheçam mais Salvador e os acervos dos museus do IPAC”, completa a coordenadora do Núcleo de Articulação da Diretoria de Museus do IPAC, Fátima Soledade.

SISTEMA de PARCERIAS A exposição nas estações do Metrô foi negociada desde 2015, como parte do Sistema de Parcerias do IPAC que inclui acertos institucionais e público-privados. “Em função da crise e contingenciamentos, desenvolvemos um sistema com participação de empresas privadas e públicas, grupos e holdings, entidades municipais e civis, comunidades regionais e paróquias de igrejas, dentre outros segmentos em que todos saem ganhando”, explica o gestor estadual. Com essas parcerias o IPAC também faz obras de restauro e outras atividades em municípios, como Salvador, Cairu, Itacaré, Santo Amaro, Banzaê e Palmas de Montes Altos.

Um dos exemplos são as ações patrimoniais e museológicas do IPAC no Forte do Morro de São Paulo, via convênio do Instituto de Desenvolvimento do Baixo Sul e investimento de R$ 8,5 milhões do BNDES. Cairu, Ituberá, Igrapiuna, Camamu e Maraú já tiveram Educação Patrimonial do IPAC. Há ainda, os restauros da Igreja de São Miguel (Itacaré) com doações, ou da Igreja de Brotas (Salvador) com recursos da comunidade e Fundo de Cultura do Estado. “Resgatar a história da primeira capital do Brasil e suas transformações ao longo do tempo tem tudo a ver com o Metrô, pois dialoga com o sistema metroviário para Salvador”, ressalta o gestor de Atendimento/CCR, Hamilton Trindade. Sobre os museus: www.ipac.ba.gov.br/museus e vídeo https://goo.gl/HriC4J. Contatos sobre publicações/IPAC: (71) 3116-6945,coad.ipac@ipac.ba.gov.br. Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio, twitter @ipac_ba e instagram @ipac.patrimonio.

Anúncios