Salvador sedia III Festival de Ilustração e Literatura Expandido entre os dias 4 e 7 de maio

3º FILEXpandido.png

Evento gratuito traz em sua programação exposições, oficinas, atividades infantis, lançamento de livro, conversas coletivas, além da Feira Ladeira de arte impressa e publicação independente

 

Crie, imagine, sonhe, ocupe! É com este mantra que o III Festival de Ilustração e Literatura Expandido vai movimentar a cena cultural de Salvador, entre os dias 4 e 7 de maio. Tendo como espaço de encontro o Palácio da Aclamação, no Campo Grande, o festival traz em sua programação, gratuita, diversas oficinas, exposições, lançamento de livro, conversas coletivas, performances, atividades infantis e sedia Feira Ladeira, acontecimento que reúne artistas gráficos, ilustradores, editores e escritores de diversas nacionalidades, em torno das artes impressas e publicações independentes.

O projeto é uma realização da Movimento Contínuo com produção da Multi Planejamento Cultural e tem apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura da Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

palacio-da-aclamacao-1m

Palácio da Aclamação, Campo Grande

Ao incorporar, nessa edição, o conceito de “expandido”, o festival ensaia propor algumas rupturas de fronteiras entre linguagens artísticas, a começar pelo tema deste ano que é “Leitura Expandida”, como explica a idealizadora e coordenadora do projeto, Flávia Bomfim. “Queremos expandir nossos entendimentos sobre a Leitura. Falamos de leitura de livros, mas também de leitura de mundos, de mãos e de corpos, de áureas e da íris, de plantas, de tempos e de nuvens, ou seja, é uma leitura que vai além do texto ou da imagem impressa, e que para alcançar camadas mais complexas precisamos reaprender a ver, e reaprender a ler” reitera.

Reconfigurando os rituais de compartilhamento de saberes e experiências, o FILExpandido traz a informalidade do encontro como premissa para essa troca. Artistas e educadores que trabalham com o livro e refletem sobre a leitura foram provocados a questionar os seus próprios fazeres em uma tentativa de des-institucionalizar os seus lugares de fala. “O que pode um livro?” e “Leitura Expandida – caminhos possíveis a partir de uma educação pela Arte” são os temas desses encontros que acontecerão nos dias 5 e 7 de maio, às 15hs.

“Ainda no sentido da dilatação de fronteiras convidamos artistas que transitam e produzem em diversas linguagens para proporem ações performáticas coletivas que nos provoquem, ainda, sobre o tema da leitura”, comenta Flávia. Para essas ações expandidas foram convidados os músicos Pedro Filho e Mariana Marin, o performer e dançarino Leonardo França, a atriz e escritora Raiça Bomfim e as artistas visuais Elena Landinez e Vânia Medeiros

Para abertura do III Festival de Ilustração e Literatura, o artista gráfico espanhol Isidro Ferrer apresenta a conferência “Elogio à Desordem”, um convite à construção de novos olhares, sentidos e materialidades. Isidro também apresentará a exposição “Coleção de Assombros” com 36 cartazes em grande formato, criados para os mais diversos eventos, situações e ideias ao longo dos últimos 15 anos.  Em seguida, o festival abre espaço para o lançamento do “Rumor”, primeiro livro de poemas da baiana Tenille Bezerra com participação especial de Mateus Aleluia. A noite de abertura encerra com um duo entre os músicos Mateus Aleluia e Arto Lindsay.

“Elogio à Desordem” também é o tema da oficina que Isidro Ferrer ministrará nas manhãs dos dias 5 e 6 de maio. Sempre destaque da programação, as oficinas são pensadas para todas as idades, assim como para profissionais e amadores. Nesta edição foram também convidados para ministrar oficinas para adultos o português André Letria, as chilenas Leonor Pérez e Maria José Ferrada, a mexicana Gimena Romero e a paulista Valquíria Prates.  A colombiana Elena Landinez e a baiana Rebeca Silva comandarão as oficinas infantis; “Cidades Invisíveis” no dia 6 (sábado) e “Criança pinta muito – Seres fantásticos” no dia 7 (domingo).

3º FILEXpandido 2.png

Feira Ladeira – Pela segunda vez o Festival de Ilustração e Literatura Expandido recebe em sua programação uma Feira de Impressos. A Feira Ladeira – Arte Impressa e Publicações Independentes irá reunir artistas, editores, escritores, designers e produtores que prezem em seus processos pelo valor artístico, pela guerrilha, pela manualidade e pelas pequenas tiragens, mas, acima de tudo, que prezem pelo prazer da cooperação, da beleza e do afeto, apresentando novos paradigmas de produção e circulação de conteúdos. Serão 60 editoras e artistas do Brasil e de outros países que estarão expondo, entre elas a Lote 42, Meli-Melo, Nano Editora, Pato Lógico, CRUA, Gris Editora e Tanto. A Feira da Ladeira acontece nos dias 5 e 6 de maio, das 14h às 20h30 e no dia 7 de maio das 10 às 20h30.

Ateliê Vala – Durante os quatro dias do Festival, quatro editoras vão se reunir com o propósito de criar uma publicação e apresentá-la ao público no domingo dia 7 de maio. A Pipoca Press (RJ), a Conspire Edições (SP), a Pallas (RJ), e a Movimento Contínuo (BA) convidarão os artistas da programação do evento à produzirem conteúdos a partir de suas impressões e experiências no festival, para a “Revista Vala”, que será impressa em duas cores em uma impressora Risograph.

Kirimurê – A baía dos Tupinambás – Recontado pela escritora baiana Ladu Goodend, o mito Tupinambá foi o mote de convocatória para que artistas e ilustradores enviassem imagens que dessem corpo à exposição coletiva. Dessa convocatória internacional foram selecionadas 30 imagens que serão expostas em lambe-lambes pelos muros da cidade.

Essa é uma história que nos traz a imagem mitológica Tupinambá de como a Baía de Todos os Santos foi formada. “Queremos colar as ilustrações nos muros que estão perto ou que dão vista à baía, essa é também uma ação que questiona os espaços expositivos da arte e que expande para além do espaço de realização do próprio festival”, comenta a idealizadora, Flávia Bomfim.

Expansão geográfica – Pela primeira vez, o festival de ilustração e literatura idealizado e produzido na Bahia vai ocupar outro estado. Entre os dias 09 e 11 de maio, São Paulo irá sediar, em parceria com a Casa Plana, A Casa Tombada e o Ateliê Libélula, oficinas e conversas coletivas, com a participação de alguns dos artistas que integram a programação de Salvador. Logo na semana seguinte, no dia 20/05, as atividades voltam a acontecer em território baiano, ocupando pela segunda vez a cidade de Madre de Deus.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado. Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br

 

III Festival de Ilustração e Literatura Expandido
4 a 7 de maio
Local: Palácio da Aclamação
Informações: ilustrafestival.com.br

Dia 04/05 (quinta-feira)
18h30 – Abertura  Exposição de cartazes de Isidro Ferrer
19h15 – Conferência com Isidro Ferrer
20h40 às 21h – Lançamento do livro “Rumor” (Tenile Bezerra)
20h45 às 22h – Poesia musicada com Mateus Aleluia e Arto Lindsay

Dia 05/05 (sexta-feira)
9h30 às 13h – Oficina “Elogio à Desordem” com Isidro Ferrer
14h às 17h30 – Atelier Vala
14h às 20h – Feira Ladeira (abertura)
14h às 17h – Oficina “Imagem e Poesia” com Leonor Perez e Maria José Ferrada  e Oficina “Picnário” com Valquíria Prates
17h40 às 18h40 – Jam experimental com Pedro Filho, Elena Landinez e Leo França

Dia 06/05 (sábado)
9h30 às 13h – Oficina “Elogio à Desordem”, com Isidro Ferrer
14h às 20h30 – Feira Ladeira
14h às 17h30 – Atelier Vala
14h às 17h – Oficina “Imagem e Poesia”, com Leonor Perez e Maria José Ferrada
Oficina “A narrativa do ponto”, com Gimena Romero
Oficina “Cidades Invisíveis”, com Elena Landinez (infantil)
15h30 às 17h30 – Conversa Coletiva “O que pode um livro?”, com Mariana Warth, Vania Medeiros e Valquíria Prates
18h – Lançamento “Puxadinho da Bahia”, coleção da editora Pipoca Press em parceria com o festival

Dia 07/05 (domingo)
10h às 13h – Oficina “Imagem e Poesia: o caminho da observação”, com Maria José Ferrada e Leonor Perez
10h às 13h30 – Oficina “E se eu fosse um livro?”, com Andrea Letria
10h às 12h – Oficina “Criança Pinta Muito”, com Rebeca Silva
10h às 19h – Feira Ladeira
10h às 16h – Atelier Vala
14h às 17h – Oficina “A narrativa do ponto”, com Gimena Romero
15h às 17h – Conversa coletiva: Leitura expandida – Desafios contemporâneos da escrita para a infância  e/ou caminhos possíveis a partir de uma educação pela arte, com André Letria, Maria José Ferrada e Isidro Ferrer.
17h40 às 18h30 – Jam experimental com Vânia Medeiros, Raiça Bomfim e Mariana Marin

Anúncios