Apresentação de ópera junina na noite dos namorados no Centro Cultural Solar Ferrão

NOP_ópera junina no Solar Ferrão5

O repertório tradicional do oratório de Santo Antônio, com uma roupagem de música clássica, ecoou pelas ruas do Pelourinho na noite de ontem (12/06). Os presentes, curiosos, se reuniram em frente ao Centro Cultural Solar Ferrão para ver o Núcleo de Ópera da Bahia (NOP) executando o espetáculo ‘Oratório de Santo Antônio – Uma Ópera Junina’. A apresentação, inédita e inusitada, será repetida hoje (13/06) e amanhã (14/06), sempre às 19h. O espetáculo traz números do cancioneiro tradicional como “A nós descei, divina luz”, “Ladainha” e “Ave Maria”, além de músicas como “São João Xangô Menino”, de Gilberto Gil.

Jorge Portugal e Arany Santana na ópera junina no Solar Ferrão

“Sou fã do Núcleo de Ópera da Bahia e da inventividade do maestro Aldo Brizzi. Por isso vim ver com olhos de surpresa essa nova roupagem para o Oratório de Santo Antônio, o qual eu rezo há 50 anos e conheço muito bem. Mas tenho certeza que vou me surpreender”, disse Jorge Portugal, Secretário da Cultura. “É muito bom ver como o IPAC e a Secult mantém o compromisso de valorizar as culturas populares e identitárias da Bahia. Este é um resgate muito bonito, criativo, popular como, inclusive, foi Santo Antônio. Sem contar este espaço diferenciado, por conta da arquitetura”, declarou Arany Santana, do CCPI.

NOP_ópera junina no Solar Ferrão3

Das sacadas do Solar Ferrão, os integrantes do NOP (como a mezzosoprano Vanda Otero, o tenor Carlos Eduardo Santos, o baixo Josehr Santos e a soprano Graça Reis) e do IpaCoral são regidos pelo maestro Aldo Brizzi. “Esta é uma experiência completamente nova para todos nós, especialmente porque estamos trabalhando um repertório muito tradicional na Bahia com outro olhar. Esta noite lançamos duas novas composições minhas. Duas novas releituras para músicas tradicionais: Ave Maria e Pater Noster. Além disso, este lugar é fantástico e, com a realização desse evento, procuramos despertar também um outro olhar das pessoas para o patrimônio, valorizando-o ainda mais. Esta ópera também marca o início efetivo do nosso objetivo em parceria com o IPAC que é o de levar nossa produção musical para os espaços de cultura do Estado”, declarou.

NOP_ópera junina no Solar Ferrão9

“A apresentação consiste no repertório tradicional do Santo Antônio em um novo olhar que passa pela música clássica e a música de invenção. O resultado é uma combinação inédita que faz destas cantigas tradicionais quase uma ópera para cantores líricos solistas, um coro e instrumentos de orquestra, que remete às sacras representações medievais que se faziam nos adros das igrejas na Europa do Sul, potencializando as emoções destas cantigas tradicionais”, complementa Graça Reis.

Além da apresentação do NOP, atrações em cada dia chamam a atenção. Ontem (12/06), o tema da noite do CCPI foi “O Namoro” e um casal de dançarinos do grupo Bamberg Cia. de Dança faz uma intervenção artística na rua, no momento em que a canção ‘Eu Sei Que Vou Te Amar’, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim, foi interpretada pelo NOP. “Isso é maravilhoso! É cultura, é arte! A combinação de ópera com a tradição junina fica muito bem aqui no Pelourinho, nas sacadas do Solar Ferrão. É uma ótima iniciativa de trazer a arte pra cá”, declarou o artista plástico Enoque B. Silva.

Foto Fernando Barbosa

 

50 Anos – Estas atividades também fazem parte da comemoração dos 50 anos do IPAC e do ‘Projeto Santos Juninos no Centro Histórico de Salvador’. De acordo com a coordenadora do Solar Ferrão, Graça Lobo, o objetivo do projeto é promover o diálogo entre a arte, a tradição, a cultura popular e a cidadania através da realização dos festejos juninos. “O projeto busca desenvolver ações que resgatem as origens e as tradições do povo nordestino, suas representações regionais, memória, valorização do patrimônio artístico e cultural em suas mais diversas linguagens”, acrescenta Lobo.

O Núcleo de Ópera da Bahia participa da série de programações que buscam a dinamização dos espaços vinculados ao IPAC. O programa pelo resgate e ocupação de espaços públicos do Instituto começou em 2015 com a reabertura do Passeio Público. Em 2017, foi iniciada a parceria com o Cortejo Afro para dinamização da Praça das Artes (Pelourinho) e no Aclamação com o NOP que abriu a 15ª Semana de Museus, que aconteceu entre 15 e 21 de maio.

O Solar Ferrão integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA).

 

Anúncios