Ópera Junina encanta público do Pelourinho com participação do Cortejo Afro no Solar Ferrão

Ópera junina dia 13 de junho foto Fernando Barbosa (10)

Fotos // Fernando Barbosa

A segunda noite (13/06) do espetáculo ‘Oratório de Santo Antônio – Uma Ópera Junina’, no Centro Cultural Solar Ferrão, foi marcada pela mistura de música clássica com a percussão dos tambores do Cortejo Afro. Com o tema ‘O Casamento’, a apresentação do Núcleo de Ópera da Bahia (NOP) reuniu diversas pessoas que, inclusive, pararam suas atividades para contemplar o espetáculo que acontece nas sacadas do Solar, como foi o caso de Nóelia Mascarenhas, baiana de acarajé que trabalha há 24 anos no Pelourinho. “Quando eu ouvi, fiquei curiosa e parei de montar o tabuleiro. É tão bonito! Só tinha visto ópera uma vez, na Barra”, conta.

Nesta quarta (14/06), a Noite do IPAC traz o tema ‘A Festa’ e conta com a participação da quadrilha junina Asa Branca (vencedora do Concurso Nacional de Quadrilhas Juninas). Além disso, o destaque fica por conta da abertura (às 20h) da exposição ‘Viva São João’ que conta com obras de artistas de Cachoeira e de Salvador que dialogam com a temática junina. A mostra, que fica em cartaz até o dia 30/06, tem curadoria de Márcia Schlapp e Gilson Sacramento.

As apresentações do NOP tem regência do maestro Aldo Brizzi e, entre os integrantes do coro, estão a mezzosoprano Vanda Otero, o tenor Carlos Eduardo Santos, o baixo Josehr Santos e a soprano Graça Reis. “O espetáculo consiste no repertório tradicional do Santo Antônio em um novo olhar que passa pela música clássica e a música de invenção. O resultado é uma combinação inédita que faz destas cantigas tradicionais quase uma ópera para cantores líricos solistas, um coro e instrumentos de orquestra, que remete às sacras representações medievais que se faziam nos adros das igrejas na Europa do Sul, potencializando as emoções destas cantigas tradicionais”, complementa Graça Reis.

Dentre os admiradores da apresentação do dia 13/06 que contemplavam a performance estava Clarindo Silva, da Cantina da Lua. “Iniciativas como esta ajudam muito a melhorar o Pelourinho e reforçar a nossa cultura. Essa mistura de elementos clássicos com a cultura afro é muito interessante; e ver uma ópera no Pelourinho é muito raro”, pontuou.

Um dos integrantes do coro do NOP, Felipe Reis, de 19 anos, falou com entusiasmo sobre participar da ópera junina. “Estou muito feliz por esta oportunidade com o NOP, pois ainda não sou formado em canto lírico. Com essa experiência estou aprendendo muito e achando incrível essa interpretação de uma tradição baiana que é o oratório de Santo Antônio. Ainda que em ópera, continua sendo algo acessível porque as pessoas se identificam com o repertório e estão gostando muito”, relatou.

Esta atividade também faz parte da comemoração dos 50 anos do IPAC e do ‘Projeto Santos Juninos no Centro Histórico de Salvador’. André Reis, Chefe de Gabinete do IPAC, destacou o sucesso das apresentações. “A proposta do segundo dia da ópera junina, na Noite da Secult, superou as expectativas não só dos organizadores, mas também do público em geral. Para além da importância de valorizar o coro e as vozes, tínhamos a ideia de valorizar o patrimônio histórico, o monumento. Mas acima disto, queríamos valorizar o Santo Antônio e as rezas para ele que, pela primeira vez no mundo, foram cantadas em formato de ópera, sendo este o grande diferencial deste trabalho”, observa.

unnamed (1)

Público contemplando a orquestra

André também pontuou as participações que acontecem em todas as apresentações. “Também trazemos nas apresentações interferências artísticas que representam a Bahia. No primeiro dia, na Noite do CCPI, tivemos a dança, na segunda a participação do Cortejo Afro, e na terceira vamos ter a quadrilha junina com o tema ‘A Festa’, e assim se encerra o Santo Antônio e começa a grande festa de São João”, concluiu.

O Solar Ferrão integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA).

 

Local: Centro Cultural Solar Ferrão (Rua Gregório de Matos, 45 – Pelourinho)

Período da mostra: 14/06 (quarta) até 30/06/2017 (sexta)

Visitação: terça a sábado, das 13h às 17h.

Telefone: (71) 3116-6743

Contato Márcia Schlapp: 75 992163992

Programação gratuita

 

Anúncios