5ª edição da ‘Pedra Papel Tesouro’ leva arte alternativa para o Palácio da Aclamação

Gilberto Montemenor

Gilberto Monte

“É uma experiência incrível essa parceria com o Palácio da Aclamação, pois desde o início o IPAC entendeu a nossa proposta”. Desta forma que Gilberto Monte, um dos organizadores da feira ‘Pedra Papel Tesouro’ (PPT), avaliou a parceria realizada com a DIMUS/IPAC – Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia. O evento, aberto ao público, trouxe a cena de arte alternativa de Salvador para o Palácio da Aclamação em sua 5ª edição neste final de semana (08 e 09/07).

Gilberto ainda pontuou sobre a importância desta ocupação artística no Palácio. “Pra feira foi muito gratificante poder fazer essa temporada aqui pela beleza da arquitetura do lugar, o que é um comentário recorrente, pois as pessoas entram e se deslumbram com o Palácio. Acredito que para o espaço também foi muito bom porque trouxe uma dinâmica e uma circulação de público que não havia tido a oportunidade de entrar. Estamos muito felizes de poder fazer essa temporada aqui”, comenta.

Josiene e Dáfinemenor

Josiane e Dáfine

Dentre os trabalhos apresentados, destaque para produtos feitos a partir do reuso de materiais descartáveis, como os colares da artesã Dáfine Prades, 30 anos. “Como eu trabalho com reaproveitamento de bordado e madeira, eu acho a feira maravilhosa para poder expor as minhas produções. O artesanato é um processo de cura e de crescimento e, acima de tudo, é uma arte. A feira oportuniza a divulgação dessa arte”, relata Dáfine.

Kinthinomenor

Kinthino

Com a proposta de valorização e visibilidade de trabalhos autorais do cenário de arte soteropolitana, a PPT reuniu expositores das mais diversas modalidades, como decoração, paisagismo, impressos, gastronomia, fotografia e moda. Kinthino, 23 anos, estudante de Produção Cultural, falou sobre a relevância do evento para a divulgação dos trabalhos. “Eu faço parte do Corre Coletivo, onde criamos roupas e acessórios. Estamos aqui desde a primeira edição da PPT, que por sinal foi a primeira vez em que expomos o nosso trabalho, o qual até então era feito informalmente “, ressalta. “O Palácio faz parte da história da Bahia e é importante que ele esteja aberto para que as pessoas possam entrar e conhecê-lo”, conclui.

Outros expositores também ressaltaram o significado da PPT para fortalecer o movimento das publicações e produções independentes, como a artesã Josiene Borges, 40 anos. “Eu trabalho com bordado livre e busco trazer minha identidade na minha arte. A feira está sendo muito interessante, por ser um momento de troca e de conhecer os artesãos, além de poder divulgar o trabalho e apreciar as obras de quem muitas vezes não as expõe. O Palácio da Aclamação é um espaço lindo e que agrega valor, tranquilidade, leveza e beleza para nossa vida. É uma gratidão imensa que eu sinto por estar aqui”, comenta Josiene.

Ju Rangelmenor

Ju Rangel

Esse comentário foi compartilhado pela designer Ju Rangel, 28 anos. Nesta edição da feira eu e meu companheiro viemos como expositores e trouxemos trabalhos da Trovoa, nossa editora que acabamos de formar, como zines, livros, cartazes, adesivos, camisetas e outros. Acho muito válido ter a PPT em Salvador porque é uma das poucas que são periódicas e isso cria um mercado de arte que batalhamos para construir na cena artística da cidade. E antes não haviam tantas feiras como essa. Acho maravilhoso ser aqui porque é Centro e ocupa o Palácio e o Passeio Público, pois muitas pessoas não sabem que é público. Então, vida longa para a feira”, finaliza.

Dinamização de espaços  A feira ‘Pedra Papel Tesouro’ faz parte do projeto de dinamização de espaços do IPAC. O Palácio da Aclamação foi sede de variados eventos com propostas artísticas e culturais neste ano, dentre eles a abertura da 15ª Semana Nacional de Museus com o lançamento da programação do Núcleo de Ópera da Bahia (NOP), o III Festival de Ilustração e Literatura Expandido, a 1ª Jornada Pedagógica de Museus, a solenidade de doação do acervo de Roberto Santos (ex-governador da Bahia), ensaios fotográficos para o editorial de moda Bazar (do Jornal Correio) e cenário para gravações de ‘Édipo Rei’, peça francesa dirigida por Gilles Pastor que tem previsão de estreia no final de agosto em Lyon, na França.

 

 

O Palácio da Aclamação integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Anúncios