Museu do Recolhimento dos Humildes passa por nova etapa de recuperação

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (1)

Após parceria firmada através de cooperação técnica entre o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e a prefeitura de Santo Amaro da Purificação em maio deste ano, o Convento do Recolhimento dos Humildes, que desde junho de 1980 passou a abrigar o Museu do Recolhimento dos Humildes, terá suas portas abertas com uma nova expografia até o verão. Ações de manutenção e preservação internas estão sendo realizadas pelo IPAC, ao tempo que a prefeitura lança edital de licitação, ainda este mês, para recuperação externa do espaço; com início das obras previstas para setembro.

As etapas do projeto da prefeitura incluem pintura da fachada e entorno do museu, envolvendo o claustro; recuperação da jardinagem e urbanismo da praça ao lado dos Humildes; pinturas das esquadrias; construção de guarita da segurança patrimonial e uma parede de isolamento da área dos banheiros na parte interna do museu. “O IPAC está nos dando apoio técnico na reforma desse museu que tem grande importância cultural e religiosa e vai valorizar o turismo no município. A ideia é dinamizar o local com missas regulares, visitação ao acervo e criação de espaço cultural”, informou a prefeitura.

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (11).jpeg

A representante da Diretoria de Museus (Dimus/IPAC), Fátima Santos, visitou o espaço esta semana para acompanhar o processo. Ao instituto compete a requalificação das áreas internas do prédio, que engloba reparos gerais, pintura, sinalização, mobiliário e a nova expografia. O acervo é composto por 500 peças de arte sacra, tombado como Patrimônio do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desde 1995. Em junho de 2015, o órgão finalizou os serviços de conservação preventiva e curativa dos bens móveis integrados da Igreja do Convento do Recolhimento de Nossa Senhora dos Humildes.

PATRIMÔNIO DO BRASIL – O convento e a igreja dos Humildes, localizados à margem direita do Subaé, são tombados pelo Estado da Bahia como Patrimônio Cultural desde 1981. A fachada principal está voltada para um largo com predominância de casas pertencentes ao convento. A área construída é de 1,8 mil metros quadrados e o conjunto tem elevado valor monumental compreendendo capela, recolhimento e seminário novo.

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (8).JPG

A fachada da capela possui três portas com molduras de lioz. A lateral esquerda é uma galeria semi-entaipada de arcos, revestida de azulejos semi-iindustriais e terminada em platibanda com grandes jarros. No interior azulejos policromados e figurativos. Os da igreja são todos lisboetas. Os da sacristia, azuis e amarelos com decoração fitomórfica de verdes e roxos, são do final do século XVIII. Toda a talha em madeira é neoclássica.

 

Anúncios