Exposição ‘Presépios’ no Museu do Recôncavo Wanderley Pinho

Oficina presépio dez 18 (3m)

Fica em cartaz até 06/01, no Museu do Recôncavo Wanderley Pinho, a exposição ‘Presépios’ elaborada por 15 estudantes da comunidade de Caboto (Candeias) a partir das peças que foram produzidas na oficina realizada em 18 e 19/12, onde cada aluno recriou a cena do nascimento de Jesus com materiais recicláveis.

Oficina presépio dez 18 (5m)

Durante o encontro, os participantes conheceram a história e as figuras tradicionais do presépio e descobriram como materiais descartáveis podem ser reutilizados na confecção de diversos objetos. “A oficina teve como objetivo a valorização da tradição natalina de montagem de presépios, além de aproximar os estudantes da história do nascimento de Jesus de um modo lúdico exercitando a criatividade”, explica a assessora técnica da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/IPAC), Fátima Soledade.

Oficina presépio dez 18 (4m)

Soledade acrescenta que esta é mais uma ação realizada com o objetivo de dinamizar o espaço para o qual estão previstas obras de recuperação física de todo o conjunto arquitetônico. “Este trabalho, porém, não o impede de receber visitas previamente agendadas e guiadas, pois é um espaço onde estamos sempre promovendo uma série de atividades voltadas especialmente para a comunidade de Caboto”, finaliza. Esse projeto contou com a parceria da SEPLANDUR (Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano) e do  I.C.M (Instituto Candeias Melhor).

Museu Wanderley Pinho

O museu – Erguido no século XVI, à margem da Baía de Todos os Santos, em Candeias, o antigo Engenho Freguesia foi transformado no Museu do Recôncavo Wanderley Pinho em 1971 devido ao seu valor histórico e a sua importância para a região do Recôncavo Baiano. Trata-se de um dos principais símbolos arquitetônico-paisagísticos do Brasil colonial. Construído em terras doadas pelo então Governador-Geral do Brasil, Mem de Sá, o casarão foi alvo das invasões holandesas, em 1624, e vivenciou momentos de apogeu na produção de açúcar até a segunda metade do século XIX. Seu conjunto arquitetônico inclui casa-grande com 55 cômodos, fábrica e capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição da Freguesia. José Wanderley de Araújo Pinho (1890-1967), que dá nome ao museu, foi proprietário do engenho e, como deputado federal, apresentou ao Congresso, em 1930, um projeto de lei de proteção dos bens móveis e imóveis de valor artístico e histórico que resultou na criação do atual IPHAN.

O Museu do Recôncavo Wanderley Pinho integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC) – unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA). Endereço: Via Matoim – Enseada de Caboto, s/n, Candeias (BA).

Anúncios