Museu do Recolhimento dos Humildes passa por nova etapa de recuperação

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (1)

Após parceria firmada através de cooperação técnica entre o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) e a prefeitura de Santo Amaro da Purificação em maio deste ano, o Convento do Recolhimento dos Humildes, que desde junho de 1980 passou a abrigar o Museu do Recolhimento dos Humildes, terá suas portas abertas com uma nova expografia até o verão. Ações de manutenção e preservação internas estão sendo realizadas pelo IPAC, ao tempo que a prefeitura lança edital de licitação, ainda este mês, para recuperação externa do espaço; com início das obras previstas para setembro.

As etapas do projeto da prefeitura incluem pintura da fachada e entorno do museu, envolvendo o claustro; recuperação da jardinagem e urbanismo da praça ao lado dos Humildes; pinturas das esquadrias; construção de guarita da segurança patrimonial e uma parede de isolamento da área dos banheiros na parte interna do museu. “O IPAC está nos dando apoio técnico na reforma desse museu que tem grande importância cultural e religiosa e vai valorizar o turismo no município. A ideia é dinamizar o local com missas regulares, visitação ao acervo e criação de espaço cultural”, informou a prefeitura.

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (11).jpeg

A representante da Diretoria de Museus (Dimus/IPAC), Fátima Santos, visitou o espaço esta semana para acompanhar o processo. Ao instituto compete a requalificação das áreas internas do prédio, que engloba reparos gerais, pintura, sinalização, mobiliário e a nova expografia. O acervo é composto por 500 peças de arte sacra, tombado como Patrimônio do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) desde 1995. Em junho de 2015, o órgão finalizou os serviços de conservação preventiva e curativa dos bens móveis integrados da Igreja do Convento do Recolhimento de Nossa Senhora dos Humildes.

PATRIMÔNIO DO BRASIL – O convento e a igreja dos Humildes, localizados à margem direita do Subaé, são tombados pelo Estado da Bahia como Patrimônio Cultural desde 1981. A fachada principal está voltada para um largo com predominância de casas pertencentes ao convento. A área construída é de 1,8 mil metros quadrados e o conjunto tem elevado valor monumental compreendendo capela, recolhimento e seminário novo.

Recolhimento dos Humildes_Foto Ascom IPAC (8).JPG

A fachada da capela possui três portas com molduras de lioz. A lateral esquerda é uma galeria semi-entaipada de arcos, revestida de azulejos semi-iindustriais e terminada em platibanda com grandes jarros. No interior azulejos policromados e figurativos. Os da igreja são todos lisboetas. Os da sacristia, azuis e amarelos com decoração fitomórfica de verdes e roxos, são do final do século XVIII. Toda a talha em madeira é neoclássica.

 

Publicado em 1

Amizade de Carybé e Jorge Amado em exposição no Solar Ferrão durante a Flipelô

carybe ilustra amado (5)

O escritor Jorge Amado – um dos homenageados da Flipelô 2017 – também ganha destaque no Centro Cultural Solar Ferrão com a exposição ‘100×100 Carybé Ilustra Jorge Amado’, em horário especial: das 9 às 17h. Criada para comemorar o centenário dos dois artistas, a mostra busca promover uma reflexão sobre a cultura da Bahia através do relato da amizade entre dois grandes ícones responsáveis por obras de que mesclam originalidade e beleza. A exposição traz ilustrações de obras como O Sumiço da SantaJubiabá, além de fotos que revelam diferentes momentos da amizade entre Jorge e Carybé. ‘100×100 Carybé Ilustra Jorge Amado’ fica em cartaz no Solar Ferrão durante a Festa Literária Internacional do Pelourinho (Flipelô) que acontece de 9 a 13 de agosto.

carybe ilustra amado (2)

Durante a festa, o Solar Ferrão recebe também a oficina ‘A Arte do Livro de Pano’ nos dias 10, 11 e 12 de agosto (quinta a sábado) das 08h30 às 12h. A atividade acontece na Galeria tendo como público-alvo os professores do ensino fundamental e médio, e demais pessoas interessadas. Com o sub-tema ‘Do conto oral à criação do livro de pano’ a proposta da oficina é o estudo do conto popular e o processo de criação de textos. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo tel.: 3116-6714 ou e-mail: labdimus@gmail.com (o número máximo de participantes é de 25 pessoas).

A atividade é coordenada pela socióloga Eliene Diniz, responsável pelo setor de pesquisa e restauro do Palácio da Aclamação, e pela pedagoga Cristina Melo, coordenadora do Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura (LabDimus). Durante os dias da oficina estarão em exposição os livros confeccionados e edições anteriores, e ao final da atividade serão narradas às histórias coletadas por seus criadores com a apresentação dos livros.

A programação Flipelô no Solar Ferrão conta também com o lançamento do livro de literatura infantil “Arthur, o Pequeno Filósofo” de autoria de Cristina D’Avila, dia 10/08 às 14h30, com o Grupo Tecendo Contos e, em seguida, uma conversa com a escritora. “Arthur, o pequeno filósofo” é um livro voltado para o público infantil de oito a onze anos. Cristina D’Ávila é Pedagoga, Mestra e Doutora em Educação. No dia 11/08, acontecerá uma atividade em paralelo, o recital e apresentação de dança com a Companhia de Dança Bamberg e Grupo de Teatro Sol, às 14h30.

Museus DIMUS/IPAC na Flipelô – Os museus administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) localizados no Pelourinho vão compor a programação das atividades que integram a FLIPELÔ (Festa Literária Internacional do Pelourinho) que acontece de 09 a 13 de agosto. São eles: Centro Cultural Solar Ferrão; Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e Museu Tempostal. As atividades são gratuitas. Mais informações: https://dimusbahia.wordpress.com/.

O Centro Cultural Solar Ferrão, o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e o Museu Tempostal são espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), uma unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

 

Publicado em 1

Oficina de Confecção de Máscaras Africanas

OFICINA 27 de julho 2017 (5).JPG

Aconteceu na última quinta-feira (27/07), pela manhã e tarde, no Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura (LabDimus), a Oficina de Confecção de Máscaras Africanas, com os alunos do Projeto Mais Educação, da Escola Municipal Vivaldo Costa Lima, de idade entre 6 a 13 anos.

OFICINA 27 de julho 2017 (3).JPG

O curso mostrou a importância da cultura africana na formação da descendência baiana, no fortalecimento e preservação da memória e ancestralidade desse povo. A oficina contou com a temática do acervo da Coleção de Arte Africana Cláudio Masella (acervo do Centro Cultural Solar Ferrão). Cada aluno confeccionou uma releitura das máscaras, estimulando assim, a expressividade e a criatividade dos estudantes.

OFICINA 27 de julho 2017.JPG

O LabDIMUS integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Centro Cultural Solar Ferrão recebe a mostra ‘O Legado Afro-Brasileiro’ hoje (2)

Exposição 'O Legado Afro-Brasileiro__Fotos Cristiano Cardoso (1)

Fotos: Cristiano Cardoso

Como parte integrante do Agosto da Igualdade, o Centro Cultural Solar Ferrão, no Pelourinho, recebe nesta quarta-feira (02/08), a mostra ‘O Legado Afro-Brasileiro’, a partir das 13h; aberta ao público. A iniciativa marca o calendário comemorativo pelos 10 anos de instituição da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e ações da Década Internacional Afrodescendente na Bahia.

Exposição 'O Legado Afro-Brasileiro__Fotos Cristiano Cardoso (2)

Com curadoria do artista plástico Alberto Pitta, “a exposição trabalha aspectos da cultura e arte afro-brasileira, com cinco mostras de múltiplas linguagens, abrangendo a vida cotidiana, religiosidade e outros elementos, abordando a culinária afro-brasileira, indumentárias das religiões de matriz africana e irmandades negras, além de cores e texturas que remetem aos contextos da ancestralidade”, explica.

Exposição 'O Legado Afro-Brasileiro__Fotos Cristiano Cardoso

Também há abordagem sobre os banhos, folhas e outros elementos, a exemplo das tradicionais “rezas”, fazendo o encontro entre o popular, a religião e a ciência. Ainda no campo da ancestralidade, a exposição trata dos legados deixados a partir dos povos Bantu, Gege, Nagô, Ketu, Angola e Yorubá.

Exposição 'O Legado Afro-Brasileiro__Fotos Cristiano Cardoso (3)

A exposição segue em cartaz até o dia 15 deste mês. A iniciativa é fruto de convênio firmado entre o Governo do Estado, por meio da Sepromi, e o Governo Federal, por meio da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR). O Centro Cultural Solar Ferrão integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Atividades dos Museus DIMUS/IPAC programadas para a FLIPELÔ

Card Flipelô - Programacao Geral

Os museus administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) localizados no Pelourinho vão compor a programação das atividades que integram a FLIPELÔ – Festa Literária Internacional do Pelourinho. São eles: Centro Cultural Solar Ferrão; Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica e Museu Tempostal.

A primeira FLIPELÔ, que acontece de 09 a 13 de agosto, ocupando ruas e espaços culturais do Centro Histórico de Salvador, comemora os 30 anos da Fundação Casa de Jorge Amado e homenageia o escritor que dá nome ao espaço, além de Zélia Gattai e Myriam Fraga, duas das mais relevantes personalidades culturais diretamente interligadas à trajetória de vida de Amado. Serão mais de 50 atividades, entre mesas de debates, lançamentos de livros, oficinas literárias, saraus, apresentações teatrais, exibição de vídeos e shows musicais, que reunirão autores, pesquisadores, críticos, estudantes e apaixonados pelo mundo das palavras. Tudo isso cercado pela arquitetura histórica, com fachadas de casas, igrejas e paralelepípedos do Pelourinho.

A FLIPELÔ é apresentada pelo Ministério da Cultura e Instituto CCR, através da Lei Rouanet, com apoio da CCR Metrô Bahia e em parceria com o Governo da Bahia. O festival conta ainda com o apoio do Shopping da Bahia, co-realização do SESC, produção da Maré Produções Culturais e realização da Fundação Casa de Jorge Amado.

CENTRO CULTURAL SOLAR FERRÃO

carybe ilustra amado (5)

O Centro Cultural Solar Ferrão recebe a exposição ‘100×100 Carybé Ilustra Jorge Amado’ durante a Flipelô. Criada para comemorar o centenário dos dois artistas, a exposição busca promover uma reflexão sobre a cultura da Bahia através do relato da amizade entre dois grandes ícones responsáveis por obras de que mesclam originalidade e beleza, a  mostra traz ilustrações de obras como O Sumiço da SantaJubiabá, além de fotos que revelam diferentes momentos da amizade entre Jorge e Carybé. A exposição fica em cartaz entre os dias 09 e 13 de agosto (quarta a domingo).

“Eles pareciam dois moleques. Quando estavam na mesma cidade, encontravam-se constantemente e, quando não estavam juntos, trocavam cartas, fax… Se ainda estivessem por aqui, certamente, trocariam e-mails”, brinca

Solange Bernabó, filha de Carybé e curadora da mostra, a qual tem o projeto expográfico assinado pelo arquiteto Daniel Colina e pelo designer Gabriel Carybé. A exposição traz ilustrações de marcos da literatura de Jorge Amado, como A Morte e A Morte de Quincas Berro D’água e O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.

Com sua narrativa particular, Jorge Amado revelou curiosidades sobre a Bahia misturando religiosidade, sensualidade, cheiros, cores e sabores que ficaram eternizados em romances traduzidos e publicados em cerca de 60 países. Já Carybé materializou o estado em imagens. Sua vasta obra, composta principalmente por pinturas, gravuras, ilustrações, murais e esculturas, desvendam o povo baiano de maneira única.

O Solar Ferrão ainda recebe a oficina ‘A Arte do Livro de Pano’ nos dias 10, 11 e 12 de agosto (quinta a sábado) das 08h30 às 12h. A atividade acontece na Galeria tendo como público-alvo os professores do ensino fundamental e médio, e demais pessoas interessadas. Com o subtema ‘Do conto oral à criação do livro de pano’ a proposta da oficina é o estudo do conto popular e o processo de criação de textos, bem como a transcrição para o livro de pano. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo tel.: 3116-6714 ou e-mail: labdimus@gmail.com (o número máximo de participantes é de 25 pessoas).

Livro de pano

Livro de pano

A atividade é coordenada pela socióloga Eliene Diniz, responsável pelo setor de pesquisa e restauro do Palácio da Aclamação, e pela pedagoga Cristina Melo, coordenadora do Laboratório de Educação Digital: Museu, Arte e Cultura (LabDimus). Durante os dias da oficina estarão em exposição os livros confeccionados e edições anteriores, e ao final da atividade serão narradas as histórias coletadas por seus criadores com a apresentação dos livros.

“As histórias têm como força latente transmitir todo um conjunto de referências culturais, preservando a tradição popular e mantendo a identidade de um povo”, pontua Eliene Diniz. “Nós vamos desenvolver estudo, leitura, criação de texto e a confecção do livro de pano como parte prática. Queremos promover atividades que despertem o gosto pela pesquisa da literatura oral e a coleta de contos populares, além de estimular a arte de contar historia e incentivar o processo de criação”, finaliza.

Cristina Davila

Cristina DÁvila

Ainda na programação do Solar Ferrão na Flipelô acontece o lançamento do livro de literatura infantil “Arthur, o Pequeno Filósofo” de autoria de Cristina D’Avila, dia 10/08 às 14h30, com o Grupo Tecendo Contos e, em seguida, uma conversa com a escritora. “Arthur, o pequeno filósofo” é um livro voltado para crianças de oito a onze anos. A sabedoria lúdica de Arthur aparece em breves diálogos com a família, a partir dos quais expressa seu modo de pensar sobre educação, escola, cotidiano, violência urbana, tecnologia, metafísica, literatura, natureza, família, ciência e religião. Um conjunto de falas de uma criança que ensina, mediante suas teorias, a enxergar a vida de modo mais saudável. Cristina D’Ávila é Pedagoga, Mestra e Doutora em Educação. No dia seguinte, 11/08, como atividade paralela acontece o recital e apresentação de dança com a Companhia de Dança Bamberg e Grupo de Teatro Sol, às 14h30.

Visitação: terça a sábado, das 09h às 17h

Endereço: Rua Gregório de Matos, 45, Pelourinho – Salvador/BA

Contato: (71) 3116-6743

 

MUSEU UDO KNOFF DE AZULEJARIA E CERÂMICA

Encadernação artística

Encadernação artística

No dia 10 de agosto (quinta) às 14h, o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica realiza a Oficina de Encadernação Artística/Criativa ministrada pela museóloga e artesã Melissa Santos. A atividade tem o objetivo de apresentar variados tipos de encadernação por meio do reaproveitamento de materiais utilizados no cotidiano. A inscrição é gratuita e pode ser feita via tel.: 3117-6389 ou educativoudoknoff@gmail.com. A faixa etária mínima é de 15 anos (por conta da utilização de objetos cortantes).

Com base na estamparia do acervo de azulejaria do museu serão criados padrões para a decoração dos cadernos da oficina, a qual busca difundir a técnica da encadernação como uma atividade artesanal, criativa e lúdica de concentração e exercício da criatividade. “A encadernação é uma arte milenar que foi criada para dar proteção às obras literárias. Trata-se de um trabalho essencialmente manual e que por muito tempo foi visto como meramente técnico e artesanal, mas hoje é considerado como sendo um trabalho de extrema delicadeza”, ressalta Renata Alencar, coordenadora do Udo.

O museu, o qual possui uma coleção de 93 Livros de Encomenda encadernados, onde estão preservados os desenhos das estampas e técnicas que o ceramista Udo utilizou para criar as padronagens da azulejaria em seu ateliê. Este é um verdadeiro tesouro que revela a arte azulejar da cidade de Salvador a partir da década de 60 até o encerramento de suas atividades.

Já no dia 11 de agosto, às 14h, acontece a Oficina POEMUSIK – Poesia Musicada. Com o objetivo de estimular a sensibilidade das pessoas através da poesia e da música, a atividade será mediada por Gabriel Dantas e Fabiana Pancho, ambos colaboradores do museu. A inscrição é gratuita e pode ser feita via tel.: 3117-6389 ou educativoudoknoff@gmail.com. A idade mínima para participação é de 10 anos.

A oficina é uma experiência criativa dos funcionários do Museu Udo Knoff em parceria com LabDimus. A partir de estímulos proporcionados pelos mediadores, o grupo passa a exercitar as palavras de formas usuais e não usuais, montando, desmontando e remontando os vocábulos de forma inventiva, e produzindo descobertas acerca da combinação de novas palavras e sons, atribuindo novos sentidos poéticos.

Gabriel Dantas, músico e colaborador do museu, trará a relação do museu e a música juntamente com Fabiana Pancho, poetisa e técnica do Udo, a qual possui referências da poesia de rua e da música de improvisação. Serão apresentados a estrutura e o processo de criação de poesia, seus tipos e características, para estímulo da criatividade e apresentação musicada das poesias elaboradas.

“Queremos estimular a sensibilidade das pessoas de faixas etárias diversificadas para a poesia em consonância com a música”, pontua Renata Alencar, coordenadora do museu. “Essa oficina sendo realizada num espaço de memória que é o Museu Udo Knoff, visa trabalhar as diferentes memórias individuais e coletivas, transformando-as em poesias que compõem nossa identidade através de versos”, finaliza.

Endereço: Rua Frei Vicente, 03, Pelourinho, Salvador/BA

Visitação: terça a sábado, das 13h às 17h

Contato: (71) 3117-6389

 

MUSEU TEMPOSTAL

Terezinha_Contadeiras 2

Contadeiras

Em realização conjunta com o Grupo Contadeiras, o Museu Tempostal promoverá duas atividades. No dia 10 de agosto (quinta) acontece a ‘Tempestade de histórias para crianças e outras brincadeiras’, uma contação de histórias voltada para os alunos de 3 a 5 anos da Escola Municipal João Lino, localizada no Pelourinho. A atividade contará com duas turmas (uma às 9h e outras às 14h).

Na sexta e sábado acontece a Oficina de Contação de Histórias voltada para educadores, pedagogos e demais interessados. As oficinas acontecem em 11/08, das 14 às 16h, e 12/08, das 9 às 11h. As inscrições podem ser realizadas através do e-mail: ocht2017@gmail.com. Serão 30 vagas para a atividade.

O grupo Contadeiras é composto por Maria Terezinha, Maria José, Carla Chastinet e Luciana Ávila contadoras de histórias e escritoras abertas a possíveis parcerias que envolvam arte, educação e literatura. O propósito do grupo é de criar e contar histórias, realizar brincadeiras populares, promover oficinas, bate-papos com escritores e sarau de histórias para o público em geral. É formado pelas escritoras. O contato com as Contadeiras pode ser feito pela página ‘Contadeiras’ no Facebook ou pelo e-mail: contadeiras2017@gmail.com.

Além disso, o local recebe o lançamento da “Antologia Poética Café com Poemas, Vol. 1”, da série Novos Sabores, dia 12/08, às 14h30, em parceria com o Movimento Café com Poemas e o blog da Gaivota (Lucymar Soares que também participa da antologia).

Endereço: Rua Gregório de Mattos, 33, Pelourinho – Salvador/BA

Visitação: terça a sábado, das 13h às 17h

Contato: (71) 3117-6383

 

 

Publicado em 1

Atividades da SecultBA vão movimentar a Flipelô

Flipelô

A contagem regressiva já foi acionada para a realização da 1ª Festa Literária do Pelourinho, que tem abertura oficial no próximo dia 9, mas as ações da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) na programação começam um pouco antes, no dia 8, e seguem até 13 de agosto. A programação da SecultBA no evento é promovida através de suas unidades vinculadas: a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), o Centro de Culturas Populares e Identitárias (CCPI), a Fundação Pedro Calmon (FPC), a Diretoria de Museus (Dimus) e o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac).

Uma iniciativa da Fundação Casa de Jorge Amado, em co-realização com o Sesc, a Flipelô conta com o apoio financeiro do Ministério da Cultura e Instituto CCR, através da Lei Rouanet, e Governo do Estado da Bahia. A abertura do evento acontecerá na Igreja de São Francisco, com um Sarau de Maria Bethânia, no dia 9 de agosto, às 20h em uma apresentação para convidados. A produção está a cargo da Maré Produções Culturais, contando com apoio do Shopping da Bahia. A programação da festa literária é gratuita e aberta ao público.

Oficinas e workshops

O Centro de Formação em Artes (CFA) da Funceb abre a grade da programação, com o curso A Felicidade Clandestina: Ler Clarice Como Criança, ministrado por Izabel Gurgel, de 8 à 11 de agosto, das 9h às 12h. No dia 9, às 15h, a doutora em Educação com ênfase em Cultura Afro Brasileira, Vanda Machado, faz encontro com jovens para leitura de seu livro Pele da Cor da Noite. Às 17h o coordenador do Núcleo de Música do CFA, Edu Fagundes, ministra a oficina musical Caymmi e as canções do mar, acompanhado da cantora Lala Carvalho. O evento é voltado para alunos do Laboratório de Música e jovens músicos da Escola Criativa do Olodum, Projeto Axé, Projeto ACASA e Rumpilezzinho.

No dia 10, data de nascimento de Jorge Amado, às 15h, acontece o workshop Um dedo de prosa na cena, com o dramaturgo e diretor teatral Gil Vicente Tavares sobre adaptação de textos em prosa para dramaturgia, a partir do livro Do Conto à Cena – reinventando Jorge Amado, organizado pelo próprio dramaturgo.

Coletivos de poesia

Ainda no dia 10, às 17h, no Terreiro de Jesus, acontece o 1° dia do Encontro dos Coletivos de Poesia para apresentação de seus livros, com Grupo Arte Marginal (Pombagem) e Sarau do Paço (Gato Preto). No dia 11, às 17h, também no Terreiro, será realizado o 2° dia Encontro de Coletivos de Poesia, com Sarau da Onça, Grupo Resistência Poética e Sarau Enegrescência.

A programação retorna no dia 11, às 15h, com a aula de Dilson Midlej sobre o tema Jorge Amado e os artistas visuais da Bahia, para alunos dos cursos de dança, teatro e música da Funceb e dos projetos arteeducativos do entorno do Pelourinho. A Escola de Dança da Funceb também participa da Flipelô, com programação de 11 a 13 de agosto. Na sexta-feira os alunos do Curso Preparatório apresentam Pau de Fita (14h) e Maracatu (15h). Nos dias 12 e 13, sábado e domingo, das 14 às 17h, alunos do Curso de Educação Profissional e dos Cursos Livres apresentam solos da recente mostra TôNaCena bem como coreografias que vêm construindo nas aulas semanais.

Grafias Eletrônicas

A Coordenação de Literatura da Diretoria das Artes (Dirart) da Funceb, em parceria com o CCPI, fará uma ocupação no Salão Principal da Casa 12, no Largo do Pelourinho. Nesse espaço serão exibidos 20 VTS dos artistas selecionados no Grafias Eletrônicas, projeto desenvolvido pela Funceb em parceria com o Irdeb. Além disso, os participantes da Festa Literária também poderão visualizar o portal do Mapa da Palavra.BA, tendo acesso à produção literária de artistas da Bahia. Serão expostos e distribuídos livros lançados por meio do Fundo de Cultura – Setorial Literatura; os quatro volumes das revistas CartoGRAFIAS, lançadas em 2016 através do Mapa da Palavra.BA; exemplares dos livros Autores Baianos, lançados em 2013 e 2014. A coordenação ainda vai lançar a segunda oficina do projeto Escritas em Trânsito, com a escritora gaúcha Eliane Marques. As ações acontecem diariamente, de 09 a 13 de agosto, a partir das 9h.

Concerto para Jorge Amado

Em sua primeira edição, a Flipelô é também uma grande homenagem ao escritor Jorge Amado, que tinha no Pelourinho um cenário recorrente em parte de sua obra. Em referência a isso, o CCPI promove na quarta-feira, às 16h30, a apresentação Orquestra ComPassos – Concerto para Jorge Amado. O concerto é composto por canções de co-autoria de Jorge e composições inspiradas na obra do escritor, acontece na calçada da casa 12, sede do CCPI.

Exposição de brinquedos

Além disso, no mesmo dia, a partir das 9h, já estarão abertas para visitação, permanecendo até o dia 13, a exposição grafitada Vida e Histórias de Jorge Amado, do artista Denis Sena; a exposição de figurinos e brinquedos populares, além do documentário Jorge Amado 100 Anos, que será reexibido durante todo o dia. A partir das 15h, tem o Teatro Lambe-Lambe, que apresenta os espetáculos inspirados nas obras de Jorge, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, montado por Janice Santos, e O Quarto de Dona Flor, por Ismine Lima e Denise Santos. Na sexta, 11, às 16h, a quituteira Dadá dá a palestra Quitutes Preferidos de Jorge Amado. E no dia 13, às 16h, acontece a segunda apresentação do Concerto para Jorge Amado, com a Orquestra ComPassos.

Biblioteca Móvel

A Fundação Pedro Calmon (FPC), busca com uma programação diversificada evidenciar a importância da escrita e da leitura para a formação cidadã. As ações estão centradas em despertar o leitor, ou potencial leitor e escritor, para as múltiplas formas de expressão e, sobretudo para um conceito mais ampliado de leitura e para o exercício da escrita. Começando no dia 10 e indo até o final da Flipelô, a Biblioteca Móvel estará instalada no Terreiro de Jesus, disponibilizando um acervo de mais de 1000 exemplares, além de atividades lúdicas como mediação de leitura, contação de histórias, saraus literários, oficinas de recicláveis, palhaços, peças de teatro e muito mais, voltado sobre tudo para o público infanto-juvenil. Entre os destaques, bate papo com a escritora Maria Izabel sobre seu novo livro Conto de Fadas na Realidade Afro Baiana, no dia 10, às 11h. O lançamento do livro de Silvano Sulzar, “O Diário de Davi: Preconceito racial, homofobia e bullying na escola”, e o show de stand up comedy com o historiador e comediante Matheus Buente, no dia 11, às 14h e às 15h. A CIA de Teatro da Biblioteca infantil Monteiro Lobato com o espetáculo Sito do Pica-Pau Amarelo da Diversidade, no sábado, 12, às 15h. E ainda bate papo com a blogueira de livros , Larissa Sousa Vieira, do blog Fuxico literário, no domingo, 13, às 15h. A programação é extensa e começa sempre às 9h, seguindo até o final do dia.]

Ainda através da FPC, a escritora e jornalista portuguesa Alexandra Lucas Coelho participa de duas importantes ações durante a Flipelô. No dia 10, às 18h30, na Arena do SESC Pelourinho, com o intuito de discutir a influência de nossa literatura nos países de língua portuguesa, a escritora estará à frente das conferências “Deus-dará: um livro que vem da Bahia e vai para a Bahia”, referência ao livro de Alexandra, ainda não lançado no Brasil. A mediação será de Gildeci Leite. E no dia 12, às 17h, no Centro de Formação em Artes, Alexandra participa de roda de conversa com escritores baianos, que estarão presentes junto ao público interessado na plateia.

Ação dos museus

Os museus administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) promovem programação durante todos os dias da Flipelô. Com abertura no dia 9, o Centro Cultural Solar Ferrão recebe a exposição ‘100×100 Carybé Ilustra Jorge Amado’, buscando promover uma reflexão sobre a cultura da Bahia através do relato da amizade entre dois grandes ícones responsáveis por obras de que mesclam originalidade e beleza, a mostra traz ilustrações de obras como O Sumiço da Santa e Jubiabá, além de fotos que revelam diferentes momentos da amizade entre Jorge e Carybé. A galeria do espaço ainda recebe a oficina ‘A Arte do Livro de Pano’, coordenada pela socióloga Eliene Diniz, nos dias 10, 11 e 12 de agosto das 08h30 às 12h. Durante os dias da oficina estarão em exposição os livros confeccionados e edições anteriores, e ao final da atividade serão narradas as histórias coletadas por seus criadores com a apresentação dos livros. Ainda na programação acontece o lançamento do livro de literatura infantil “Arthur, o Pequeno Filósofo” de autoria de Cristina D’Avila, dia 10/08 às 14h30, com o Grupo Tecendo Contos e, em seguida, uma conversa com a escritora.

A programação também acontece no Museu Udo Knoff, com oficina de encadernação artístico-criativa, com Melissa Santos, no dia 10, a partir das 14h; e a Oficina POEMUSIK leva poesia musicada ao dia 11, às 14h, mediada por Gabriel Dantas e Fabiana Pancho, ambos colaboradores do museu. Já no Museu Tempostal, em parceria com o Grupo Contadeiras, acontecem duas atividades. No dia 10/08 acontece a ‘Tempestade de histórias para crianças e outras brincadeiras’, uma contação de histórias voltada para os alunos de 3 a 5 anos da Escola Municipal João Lino, localizada no Pelourinho. A atividade contará com duas turmas (uma às 9h e outras às 14h). Nos dias 11 e 12/08, das 08h30 às 17h, acontece a Oficina de Contação de Histórias voltada para educadores, pedagogos e demais interessados. As inscrições podem ser realizadas através do e-mail: ocht2017@gmail.com. Serão 30 vagas para a atividade.

Mostra de autores baianos

Já o Centro de Documentação e Memória do IPAC (CEDOM), promove durante os dias da festa a Mostra Coletiva Livros de Artista. Pela segunda vez em Salvador, a exposição de livros, sketchbooks, flipbooks e zines, ressalta o processo de criação de cerca de 60 obras de artistas baianos, através de uma reflexão sobre alguns aspectos da produção contemporânea. Também farão parte de uma mostra os Cadernos Especiais do IPAC, que trazem estudo aprofundado de diversas manifestações culturais do estado. Já no dia 11 de agosto, às 10h, o professor e doutor em história Luiz Freire palestra sobre “Manuel Querino: A escrita como instrumento na luta pela memória da arte e dos artistas na Bahia”, relembrando a trajetória do intelectual negro santamarense que contribuiu de forma efetiva para a cultura baiana.

Publicado em 1

Recital com tenor Carlos Eduardo Santos emociona público no Palácio da Aclamação

recital 28 de julho 2017_fotos Cristiano Cardoso

Foto: Cristiano Cardoso

O Salão Nobre do Palácio da Aclamação (Campo Grande) recebeu, na última sexta-feira (28/07), o recital “L’invitation au Voyage”. Com um repertório de músicas do gênero lied – expressão artística do Romantismo europeu – e intervenções poéticas, o evento foi ainda mais especial para o tenor Carlos Eduardo Santos, do Núcleo de Ópera da Bahia (NOP), solista, diretor e aniversariante da noite. Na plateia, família, amigos, colegas de trajetória musical e muitos admiradores vieram conferir a apresentação, repleta de muita emoção.

recital_28 de julho 2017_Raquel Cazoli (28)

Foto: Raquel Calzoli

“Quando a gente está próximo do aniversário, tem que tomar várias decisões; daí inventei de fazer o recital no mesmo dia para integrar os amigos e festejar com música. O palco é o lugar que eu sou mais feliz, então nada mais justo do que festejar o meu aniversário perto das pessoas que eu gosto, cantando nesse lugar sensacional que é o Palácio da Aclamação”, comemorou Carlos Eduardo.

Intercalando sarau poético encabeçado pelo ator Cassius Fabian com melodias cantadas pelos convidados Eneida Lima (soprano), Eddy Roots (tenor), Adermar Azevedo (barítono) e Michel Silva (baixo), poesias e composições de Franz Schubert, Robert Schumann, Johannes Brahms, Henri Duparc, Jules Massenet, Francis Poulenc, Alban Berg, Eric Satie foram executadas, juntamente com versos de Charles Baudelaire, precursor da tradição moderna em poesia.

recital_28 de julho 2017_Raquel Cazoli (37)

Foto: Raquel Calzoli

“A música toca o coração das pessoas, e por se tratar de um recital que uniu a linguagem lírica e teatral com muito amor, o evento festivo foi muito significativo para os convidados e para o tenor Carlos Eduardo Santos, já que se tratou do seu aniversário”, considerou Cassius. O espetáculo contou ainda com a participação de Hammurábi Ferreira e Gabriel Garcia Lorenzo (piano), Berta Pitanga e Louise Pitanga (flautas), Izabella Baldoíno (cello) e Leone Costa (violão).

“Eu achei maravilhoso. Uma iniciativa de grande coragem, visão e empreendimento dos estudantes da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Esse é um trabalho brilhante para a nossa alma com o canto lírico, com músicas francesas, alemãs e brasileiras, homenageando esses grandes compositores e grandes intérpretes de todas as épocas. Para mim é um motivo de fruição e deleite estar aqui hoje”, refletiu o maestro Jean Prado.

Carlos Eduardo cursa a graduação em Canto na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e é preparador vocal do Coral Ecumênico da Bahia. O tenor também faz parte da Arena Cia de Artes, o Coletivo Quatro e o NOP. O ingresso para o recital foi 1kg de alimento não perecível destinado para um grupo de Plataforma que mantém uma casa de recolhimento para pessoas de situação de rua.

Esta atividade faz parte do projeto de dinamização de espaços do IPAC. O Palácio da Aclamação, solar oitocentista, vem sendo sede de variados eventos com propostas artísticas e culturais neste ano, dentre eles a abertura da 15ª Semana Nacional de Museus com o lançamento da programação do NOP, o III Festival de Ilustração e Literatura Expandido, a ‘Feira Pedra Papel Tesouro’, a solenidade de doação do acervo de Roberto Santos (ex-governador da Bahia), além de ensaios fotográficos ou gravação de vídeos. O Palácio da Aclamação integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Secom grava no Palácio da Aclamação

Secom_26 de julho
As áreas externas, jardins, corredores e hall do Palácio da Aclamação, que completa 100 anos em novembro deste ano, foram escolhidos para locação da equipe de TV da Secretaria de Comunicação Social da Bahia (Secom) na tarde do dia 26 de julho.
 
Secom_26 de julho (50).JPG
O repórter Alexandre Santana e o cinegrafista Fídias Razoni gravaram a agenda cultural do estado e o resultado já está disponível no facebook da Secretaria. Veja como foram as gravações.
Publicado em 1

Museu Udo Knoff prepara oficina de poesia para a Flipelô

Na última quinta-feira (20/07), o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho) realizou um encontro técnico para preparar seus funcionários para a realização da Oficina POEMUSIK – Poesia Musicada durante a Flipelô. O laboratório foi conduzido pela técnica Fabiana Pancho e contou com a participação dos técnicos e estagiários do museu.

OFICINA DE POESIA UDO KNOFF (1)

A Oficina POEMUSIK – Poesia Musicada acontece em 11 de agosto, às 14h, e tem o objetivo de estimular a sensibilidade das pessoas através da poesia e da música. A atividade será mediada por Gabriel Dantas e Fabiana Pancho, ambos colaboradores do Museu Udo Knoff. A inscrição é gratuita e pode ser feita via tel.: 3117-6389 ou educativoudoknoff@gmail.com. A idade mínima para participação é de 10 anos.

OFICINA DE POESIA UDO KNOFF (5)

A oficina é uma experiência criativa dos funcionários do Museu Udo Knoff em parceria com LabDimus. A partir de estímulos proporcionados pelos mediadores, o grupo passa a exercitar as palavras de formas usuais e não usuais, montando, desmontando e remontando os vocábulos de forma inventiva, e produzindo descobertas acerca da combinação de novas palavras e sons, atribuindo novos sentidos poéticos.

OFICINA DE POESIA UDO KNOFF (4)

Gabriel Dantas, músico e colaborador do museu, trará a relação do museu e a música juntamente com Fabiana Pancho, poetisa e técnica do Udo, a qual possui referências da poesia de rua e da música de improvisação. Serão apresentados a estrutura e o processo de criação de poesia, seus tipos e características, para estímulo da criatividade e apresentação musicada das poesias elaboradas.

OFICINA DE POESIA UDO KNOFF (6)

“Queremos estimular a sensibilidade das pessoas de faixas etárias diversificadas para a poesia em consonância com a música”, pontua Renata Alencar, coordenadora do museu. “Essa oficina sendo realizada num espaço de memória que é o Museu Udo Knoff, visa trabalhar as diferentes memórias individuais e coletivas, transformando-as em poesias que compõem nossa identidade através de versos”, finaliza.

O Museu Udo Kanoff é um espaço administrado pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), uma unidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

LabDimus promove workshop de fotografia e escrita criativa

oficina foto e escrita criativa_labDimus_26 julho 2017 (1)

Oficina LabDimus

Na manhã da quarta-feira (26/07), 22 estudantes do Colégio Estadual Cidade de Candeias, com idade entre 16 a 18 anos participaram do Workshop de Fotografia e Escrita Criativa. A oficina foi realizada no Laboratório de Arte e Educação Digital (LabDimus), localizado no Pelourinho.

oficina foto e escrita criativa_labDimus_26 julho 2017 (7)

O curso teve início com uma breve apresentação teórica sobre a História da Fotografia e aspectos técnicos, sempre com a interação dos participantes. Na sequência, os estudantes foram orientados sobre a importância do olhar fotográfico, com o objetivo de despertar a criatividade, a ousadia e a inovação.

oficina foto e escrita criativa_labDimus_26 julho 2017 (3)

Os alunos tiveram a oportunidade de colocar o conhecimento adquirido em prática, na Praça das Artes (Pelourinho), onde foi pedido para que cada um fotografasse e ‘escutasse’ a poesia de cada imagem. Retornando ao LabDimus, cada participante recebeu uma folha de papel em branco e foi solicitado que escrevesse uma frase. Disso criou-se uma poesia e, a partir daí, nasceu a Escrita Criativa.

O resultado será compilado em um vídeoarte criado pelo LabDimus. O LabDimus é um espaço administrado pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), uma unidade vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1