“Os museus são fundamentais para a Bahia”, diz o subsecretário de Turismo do Estado, Benedito Braga

Itens do IPAC no stand da Bahiatursa/SETUR na ABAV 2017, em São Paulo, reúne os patrimônios culturais (materiais e imateriais), e os principais Museus da Bahia

“Os museus são fundamentais para a permanência dos turistas nas cidades da Bahia, pois fornecem mais motivos para que os turistas fiquem na cidade para ter contato com a história, a memória e a cultura local.” Com essas palavras, o subsecretário de Turismo do Estado da Bahia (Setur), Benedito Braga, resumiu a importância dos museus baianos estarem presentes na 45ª ABAV Expo Internacional de Turismo, que termina hoje (29) no Expo Center Norte, em São Paulo. “O museus baianos guardam parte da memória do patrimônio cultural da Bahia e contribuem com extensa e rica programação oferecendo, com isso, mais roteiros para os turistas locais, nacionais e internacionais”, completa o subsecretário Benedito Braga.

O IPAC ocupa um espaço do stand da Superintendência da Bahiatursa e da Setur. Folders, mapas e vídeos dos principais museus da capital como o Museu de Arte (MAB), Museu Costa Pinto, Museu Eugênio Teixeira Leal, Museu de Arte de Moderna (MAM), Solar Ferrão, Memorial dos Governadores, Museu da Misericórdia, Museu de Arqueologia e o Museu de Arte Sacra. Além disso, o IPAC levou para São Paulo, livros e videodocumentários sobre bens culturais baianos como o Carnaval de Maragojipe e o Desfile de Afoxés (Salvador), o Ofício de Vaqueiros, Terreiros de Candomblé de Cachoeira e São Félix, Pano da Costa e Escola Parque, dentre outros.

IPACnABAV (9)

TURISMO CULTURAL“A presença do IPAC no stand na ABAV é muito importante, pois o turismo na Bahia é principalmente um turismo cultural”, diz o subsecretário Braga. Ele lembra que ao ter mais opções para permanecer e usufruir em Salvador, como os museus, os turistas dobram a sua permanência. “As visitas aos museus podem levar duas, três e até dois turnos por dia, porque os turistas querem conhecer mais de perto e valorizar a história e a cultura local”, diz Braga. Segundo o assessor de Relações Institucionais do IPAC, Andre Reis, que coordena as ações do IPAC na ABAV 2017, o balcão do Instituto foi o único que apresentou essas temáticas. “Também promovemos sorteios de livros do IPAC para os participantes da ABAV”, relata Reis.

Foi lançada ainda a marca ‘Museus da Bahia’ apresentando 40 museus da capital e interior, material promocional, vídeos e ação comercial #VemPraBahia e #VemProMuseu. O balcão do IPAC recebeu visitas dos órgãos oficiais de turismo da Bahia, autoridades federais, estaduais e municipais, como o secretário de Turismo de Vera Cruz, Luiz Henrique, além do diretor da Travel Latam, Daniel Veron, a jornalista especializada em Turismo, Heloisa Braga, dentre outros. Hoje (29) acontece o show com a cantora baiana, Ivete Sangalo, na ABAV sob promoção da Setur. Representantes de agências de viagem, operadoras e transportadoras turísticas, companhias aéreas e rede hoteleira de todo o Brasil estão presentes.

IPACnABAV (5)

IPACnABAV (7)

CAMPANHAS Na Bahia, o IPAC promove diversas campanhas educativas e de mobilização em benefícios dos museus, como a ‘Semana de Museus’ em maio, ‘Primavera de Museus’ em setembro, #MusEuCurto, #MusEuCuido e #MusEuVou produzidas anualmente via parceria entre o Instituto e a Secretaria de Comunicação do Estado (SECOM). As campanhas SECOM/IPAC já aumentaram em até 60% a frequência dos museus em Salvador. O IPAC ainda dispõe dos vídeos Rota de Museus 1 (https://goo.gl/uQS9NG) e 2 (https://goo.gl/vphG2s), produzidos pela SECOM.

Todos os museus do IPAC (www.ipac.ba.gov.br/museus) têm acesso gratuito de terça-feira à domingo, sempre à tarde, em Salvador e interior do estado. Juntos, os equipamentos somam mais de 400 atividades a cada mês. Conheça mais ações como Livros: http://goo.gl/CDv6q3. Vídeos: educação patrimonial (https://goo.gl/rJggpk), Balé Folclórico (https://goo.gl/jZQjJN), Projeto Axé (https://goo.gl/34bd1a), Dinamização de Espaços (https://goo.gl/S4EyRn), Festa do Bembé (https://goo.gl/63H8Ve), Festa da Boa Morte (https://goo.gl/BawMJJ) e Capoeira (https://goo.gl/wFJdGN). Acesse: www.ipac.ba.gov.br, facebook Ipacba Patrimônio e twitter @ipac_ba.

Assessoria de Comunicação – IPAC, em 29.09.2017

Anúncios
Publicado em 1

Arany Santana se torna a primeira mulher a assumir a Secretaria de Cultura

Autoridades, gestores, artistas, agentes culturais e militantes estiveram entre as centenas de pessoas presentes na tarde desta segunda-feira (02), no Salão de Atos da Governadoria, para dar as boas vindas à nova Secretária de Cultura da Bahia, Arany Santana. Recebida com calorosos aplausos, a primeira mulher a assumir a pasta tomou posse do cargo em cerimônia celebrada pelo Governador do Estado, Rui Costa.

“Continuamos escrevendo história, com a primeira mulher a assumir a Secretaria de Cultura da Bahia. E uma mulher negra. Eu tenho certeza que Arany, com a sua sensibilidade, alma, coração e ligação com o povo, terá muita energia pra gente continuar trabalhando e edificando os pilares da nossa cultura, que é algo estruturante na vida humana e, sobretudo, para os baianos”, declarou Rui.

Arany assume a pasta após Jorge Portugal ter entregue o cargo na última quinta-feira (28). O ex-secretário participou da cerimônia para abraçar e desejar sucesso à nova gestora.

PosseArany_FotoRosildaCruz (3)

A secretária de cultura na oportunidade reiterou o seu compromisso com a comunidade do setor e em contemplar e assegurar a cidadania cultural através da agregação de nomes das mais diversas linguagens, atividades e vertentes. “É preciso fazer saber como a Secult é importante e o quanto ela faz. Minha expectativa é de poder garantir os direitos culturais da mesma forma que garantir os direitos humanos fundamentais. Ampliar as parcerias entre os vários órgãos. Reconhecer e valorizar as diversidades, as diferenças, as convergências e as confluências da cultura da Bahia”, afirmou Arany.

Ex-diretora do Centro de Culturas Populares e Identitárias (2011-2017), unidade da SecultBA, Arany Santana possui um histórico atrelado à cultura e militância étnica que resiste há anos. Ela é ex-diretora do Ilê Aiyê, mais antigo movimento negro do Brasil; e co-fundadora do Movimento Negro Contra a Discriminação Racial (hoje Movimento Negro Unificado). Como educadora, tem uma trajetória voltada para a alfabetização de adultos iletrados, a arte-educação e o ensino de cultura africana. Também atriz, participou de filmes como A Idade da Terra, de Glauber Rocha, O Jardim das Folhas Sagradas, de Póla Ribeiro, e Capitães da Areia, de Cecília Amado. Na gestão pública, foi a primeira secretária municipal da Reparação, no ano de 2003, e esteve à frente da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza do Estado da Bahia, em 2010.

PosseArany_FotoRosildaCruz (1)

PosseArany_FotoRosildaCruz (4)

Confira o perfil completo da secretária:

http://bit.ly/2ylmOUs

Assessoria de Comunicação – Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SecultBA

Publicado em 1

Oficina de origami integrou programação da 11ª Primavera de Museus no Museu Udo Knoff

A oficina de origami, que integrou a programação do Museu Udo Knoff durante a 11ª Primavera dos Museus, foi realizada na tarde da última sexta-feira (22/09), com a professora Rita Maria Matos. A atividade contou com a participação de estudantes da Escola Oludum.
Inspirada nos temas florais da azulejaria, e da estação primaveril, a artesã propôs a confecção de flores decorativas, embalagens para doces de festa e confecção de caixas para embalagem de presentes, porta-jóias, lembrancinhas bens-casados.
Renata Alencar, coordenadora do museu, falou sobre os objetivos da oficina e futuras atividades:
“O intuito do Grupo Criando e Recriando  na parceria com os museus é oferecer oficinas que possibilitem além do desenvolvimento cognitivo, terapêutico e lúdico, um meio de fonte de renda. Capacitar pessoas para desenvolver sua própria produção de produtos personalizados.
Essa foi a primeira de muitas oficinas que ocorrerão nos museus da DIMUS, pois faz parte da proposta das “Ações Conjuntas” a serem desenvolvidas pelos Museus – Udo Knoff, Solar Ferrão, Tempostal, Abelardo Rodrigues e Labdimus.
O acervo é sempre levado em conta, a partir dele, partimos para as diversas interfaces que a arte nos possibilita, e o origami é uma delas.”
DSC06422
DSC06410
DSC06484
DSC06453
DSC06495
Publicado em 1

Roda de leitura com tema “Redução da Maioridade Penal” foi realizada no Museu Udo Knoff com a Escola Olodum

Uma roda de leitura com alunos da Escola Olodum aconteceu na última quarta-feira (27/09), no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica. A atividade  sobre a redução da maioridade penal contou com a leitura dos textos “18 Razões para não Redução da Maioridade Penal”.

A Leitura foi coordenada pela professora Carla Pita no Curso de Formação de Lideranças.

Roda de Leitura_27.09 (2)

Roda de Leitura_27.09 (1)

Roda de Leitura_27.09 (3)

Roda de Leitura_27.09 (4)

Publicado em 1

Lançamento do livro ‘O Som dos Esquecidos’, da etnomusicóloga Emília Biancardi movimentou o Centro Cultural Solar Ferrão

Na última sexta-feira, dia 22/09, como parte da programação da Primavera dos Museus 2017, a etnomusicóloga Emília Biancardi lançou – em parceria com Terezinha Spínola – o livro ‘O Som dos Esquecidos’, no Centro Cultural Solar Ferrão (Pelourinho). O lançamento contou com a participação de integrantes da Orquestra Museofônica e apresentação de dança dos alunos da Escola de Dança da Fundação Cultural (Funceb), sob direção do professor Márcio Fidelis.

Lançamento do Livro_22.09.2017 5

Lançamento do Livro_22.09.2017 2

O livro, com fotos de acervo e de Nini Gondim e Luiz Fernando Gondim, reúne informações sobre a pesquisa de Biancardi com os indígenas na Reserva dos Índios Camaiurá, no Xingu, em 1975; além de trazer dados sobre a cultura indígena, em especial a música e os instrumentos musicais. Parte desta pesquisa, inclusive, faz parte da sala ‘Som dos Esquecidos’ da ‘Coleção de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi’, em cartaz no Centro Cultural Solar Ferrão (Pelourinho).

Responsável pela maior coleção de instrumentos musicais dos índios no Brasil, a etnomusicóloga Emília Biancardi pretende contribuir para que a cultura musical indígena seja mais conhecida e levada a sério. “Temos exceções, mas no geral as pessoas esquecem que, quando os povos invasores chegaram no Brasil, e depois os negros, os índios já tinham seus instrumentos musicais, já tinham suas músicas e danças. Queremos transmitir esse conhecimento com a coleção e, agora, com este livro”, informa Emília.

LLançamento do Livro_22.09.2017 (12)

LLançamento do Livro_22.09.2017 (8)

LLançamento do Livro_22.09.2017 (15)

LLançamento do Livro_22.09.2017 (14)

Ficha Técnica – Livro ‘O Som dos Esquecidos’

Texto: Emília Biancardi e Terezinha Spínola

Fotos: Nini Gondim e Luiz Fernando Gondim

Capa: Ana Júlia de Moraes Pereira

Diagramação: Anderson Paulo Pereira

Páginas: 151

Tiragem (1ª edição): 300

Distribuição gratuita

Publicado em 1

Recital poético do livro ‘Antologia Poética – Mulher Poesia’ movimentou programação da 11ª Primavera de Museus

No dia 22/09, como parte da programação da 11ª Primavera de Museus da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC),  o grupo Contadeiras realizou um recital poético que reuniu algumas mulheres que participaram do livro ‘Antologia Poética – Mulher Poesia’.

image (10)

image (11)

image (9)

Publicado em 1

Grupo Contadeiras apresentou contação de histórias durante a 11ª Primavera de Museus no Museu Tempostal

No dia 22/09, como parte da programação da 11ª Primavera de Museus da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC),  o grupo Contadeiras realizou contação de histórias no espaço do Museu Tempostal. O grupo Contadeiras é composto por Maria Terezinha, Maria José, Carla Chastinet e Luciana Ávila; contadoras de histórias e escritoras abertas a possíveis parcerias que envolvam arte, educação e literatura. O propósito do grupo é de criar e contar histórias, realizar brincadeiras populares, promover oficinas, bate-papos com escritores e sarau de histórias para o público em geral.image (4)

image (7)

image (6)

Publicado em 1

Show de Chico do Crato e palestra sobre história do Museu Tempostal movimentam a 11ª Primavera de Museus

No dia 21/09, as atividades da 11ª Primavera de Museus no Museu Tempostal iniciaram com um pocket show do cantor Chico do Crato. Na sequência, às 14h30 aconteceu a palestra ‘Museu Tempostal: uma viagem no Tempo’ – Historicidade e memória institucional contada a partir de relatos de Antônio Marcelino. A palestra foi voltada para estudantes de colégios do Pelourinho e visitantes em geral.

Palestra_Uma Viagem no Tempo_21.09.2017 (4)

Palestra_Uma Viagem no Tempo_21.09.2017 (1)

Publicado em 1

Palestra “O azulejar brasileiro: a construção de uma herança” como parte da programação da 11ª Primavera de Museus

Uma série de atividades vem acontecendo no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho) durante a 11ª Primavera de Museus da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) que acontece de 18 a 24 de setembro com o tema “Museus e suas memórias”.

No dia 20/09, aconteceu a palestra “O azulejar brasileiro: a construção de uma herança”, com Eliana Ursine Mello, doutoranda da UFBA sobre revestimento azulejar produzido entre as décadas de 1950 e 1980, que discutiu como se deu a construção do patrimônio azulejar brasileiro no Século XX. De acordo com Eliana Mello, o acervo azulejar brasileiro, do século XX, caracteriza-se pela renovação de uma arte historicamente associada às referências culturais lusitanas, presentes em igrejas e casarões do período colonial. “Em 1936, ao ser inscrita nas monumentais fachadas modernas do edifício sede do Ministério de Educação e Saúde, no Rio de Janeiro, a arte azulejar inaugura um tempo de inovação em seu potencial transformador do espaço, chamando a atenção de importantes artistas do cenário brasileiro e influenciando por algumas décadas as proposições de integração entre arte e arquitetura. Esta palestra, mostrando os acontecimentos que marcaram a história da azulejaria contemporânea, as singularidades de cada período e as propostas artísticas que sobressaíram em cada região, é um convite à percepção dos valores culturais que habitam o nosso patrimônio recente”, informa.

Palestra_Azulejar Brasileiro_20.09.2017 (5)Palestra_Azulejar Brasileiro_20.09.2017 (3)Palestra_Azulejar Brasileiro_20.09.2017 (1)

Publicado em 1

Oficina de porta-retratos abre programação do Parque Histórico Castro Alves durante a 11ª Primavera de Museus

Em 18/09 o PHCA abriu sua programação da 11ª Primavera de Museus com uma oficina de porta-retratos. De acordo com a coordenadora do parque, Diogenisa Oliva, a oficina visou resgatar as memórias dos mais velhos sobre o PHCA. O resultado da oficina, que usou fotos antigas do local, será exposto durante as apresentações do Sarau no Parque. Este sarau, intitulado ‘Sarau no Parque: Música, Poesia e Arte’ será realizado com Priscila Sales e conta com a participação do público que se manifesta artisticamente por meio de musicais, dramatizações, danças, declamações poéticas e expressão de ideias. O sara será realizado em 19/09, às 19h.

Oficina de Porta-Retratos_18.09.2017 (3)

Oficina de Porta-Retratos_18.09.2017 (2)

 

Publicado em 1