Palácio da Aclamação recebe espetáculo de dança contemporânea

No próximo sábado (02.06), às 20h, o Palácio da Aclamação recebe o espetáculo de dança MATADOURO, do coreógrafo Marcelo Evelin. A atividade integra a sexta edição do projeto INTERAÇÃO E CONECTIVIDADE, realizado pelo Dimenti, grupo de pesquisa e produtora cultural, que vem se fortalecendo com um importante espaço de encontro para a dança e para a arte contemporânea.

Baseado no romance Sertões, de Euclides da Cunha, MATADOURO fecha a trilogia de Marcelo Evelin (Demolition Inc) iniciada com o espetáculo Sertão (Holanda-2003) e seguida por Bull Dancing (Brasil-2006). A trilogia elabora-se em torno de questões relacionadas a uma identidade territorial e cultural deslocada e ao embate entre racionalidade X animalidade na vida do homem contemporâneo.

MATADOURO investiga o corpo como metáfora de um campo de batalha em que a luta travada entre o oficial e o marginal, entre selvageria e civilidade, entre o território e o mundo globalizado, o lança no espaço subjetivo e intermediário do “entre”. O espetáculo é composto por oito intérpretes que, através de uma ação contínua, incorporam a luta em seu estado limite e arrastam consigo o espaço entre a periferia do Dirceu, a favela da Maré, Auschwitz ou Canudos, acompanhados pelo Quinteto em C Maior de Franz Schubert.

O INTERAÇÃO E CONECTIVIDADE VI teve início no dia 25 de maio, com a residência artística do artista Neto Machado, enquanto que a Mostra de Espetáculos começa hoje (30.05) e vai até domingo (03.06), em diversos espaços da cidade. O Projeto envolve atividades gratuitas ou com preços populares, com ingressos de R$10 (inteira) a R$5 (meia). Confira programação completa no site www.dimenti.com.br/interacaovi.

10ª Semana de Museus mobiliza espaços expositivos da Bahia

MAM-BA inaugura a exposição Estranhamente Possível

De 14 a 20 de maio, museus, memoriais e galerias de todo o estado organizam uma série de atividades que integram a 10ª Semana de Museus, ação de âmbito nacional coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC). O evento marca as comemorações do Dia Internacional de Museus (18 de maio) e, nesta edição, traz o tema “Museus em um Mundo em Transformação – novos desafios, novas inspirações”. Mobilizados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, articuladora estadual da Semana de Museus, 37 espaços baianos irão promover eventos que valorizam a pluralidade cultural, conectando o tradicional e o contemporâneo.

No dia 15 de maio, das 9h às 17h, será realizada na Praça Municipal de Salvador a 2ª Feira de Museus da Bahia. Nesta data, os visitantes irão se deparar com muita arte, cultura e com grande parte da memória do nosso estado. A feira contará com a participação de 32 museus de diversas regiões do estado. Várias atrações artísticas se apresentarão no palco especialmente montado para o evento. O público também poderá conferir a exposição itinerante Museus da Bahia: Identidade e Territórios e o Ônibus Ciência Móvel do Museu de Ciência e Tecnologia da UNEB. “Desde o ano passado, a feira tem funcionado como uma ótima estratégia para aproximar a sociedade dos museus, integrar as instituições museais baianas e divulgar seus acervos e exposições”, explica Maria Célia T. Moura Santos, diretora de Museus do IPAC.

A Mesa Redonda “Museus, Cidades e Memórias” marca a passagem do Dia Internacional dos Museus. A atividade acontece no dia 18 de maio, às 17h30, no Palácio da Aclamação e integra o Fórum de Pensamento Crítico, ação promovida pela Secretaria de Cultura do Estado em parceria com a Secretaria de Planejamento. Participam do evento o professor emérito da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da USP, Ulpiano Bezerra de Meneses, o professor doutor da Faculdade de Arquitetura da UFBA, Eugênio Lins, e o professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, o museólogo Mário Chagas. Após as palestras, o debate é aberto ao público. 

Exposições também serão inauguradas durante a Semana de Museus. Estranhamente Possível e Remue-Ménage levam ao Museu de Arte Moderna da Bahia obras dos videoartistas Maurício Dias e Walter Riedweg, dupla reconhecida internacionalmente, e um projeto transcultural e interativo da associação suíça Charlatan a partir de 18 de maio, às 19h. O Museu Udo Knoff apresenta, entre 15 e 20 de maio, a mostra Parabéns Irará, com obras de ceramistas e artesãos do município. No mesmo período, as pessoas que transitam pelo Terminal Rodoviário de Salvador poderão conhecer a exposição Museus da Bahia: Identidade e Territórios, que evoca o patrimônio integral de 25 territórios de identidade baianos, através de mapas, fotografias e dados estatísticos.

O público tem ainda a sua disposição variadas tipologias de acervo e mostras com diversos estilos artísticos. O imaginário do rei – visões do universo de Luiz Gonzaga e Auguste Rodin – Homem e Gênio estão em cartaz no Palacete das Artes Rodin Bahia. A Arte de ser diferente está aberta a visitação no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica. A sala de exposições do Setor Educativo do Museu de Arte da Bahia expõe a mostra Cores e Sabores. E o Memorial dos Governadores, no Palácio Rio Branco, apresenta a exposição Antônio Balbino: Ideias e Realizações.  

Para consolidar os museus como espaços que aliam à preservação do patrimônio o estímulo à criatividade e ao aprendizado, uma extensa programação educativa, voltada para públicos de todas as idades, movimenta os espaços museais durante estes sete dias. São visitas mediadas, palestras, debates, lançamentos de livros, exibições de filmes, narração de histórias, apresentações musicais, além de oficinas que contemplam diversas linguagens artísticas: dança, música, pintura, escultura, fotografia, modelagem em argila e construção de instrumentos musicais. Confira aqui a programação completa.

Semana de Museus – A Semana Nacional de Museus é realizada anualmente pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC) desde 2003, ano em que foi instituída uma política nacional para o setor. A primeira edição contou com a participação de 57 museus, os quais realizaram cerca de 270 eventos em 36 cidades brasileiras. Hoje, as nove edições da Semana de Museus totalizam mais de 4.000 participações e aproximadamente 12.300 eventos realizados em 600 municípios espalhados pelo território nacional. Em 2012, 1.114 museus e organizações culturais de 513 cidades brasileiras promoverão 3.420 atividades em torno do tema proposto pelo Conselho Internacional de Museus (ICOM).

Salvador recebe exposição itinerante Transit

Yinka Shonibare Obra How to Blow

Salvador é a primeira cidade brasileira a receber a exposição coletiva Transit, que acontece no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), com abertura no dia 19 de março, às 19h. Com curadoria do baiano Daniel Rangel e do angolano Fernando Alvim, a mostra fará um tour pelo Brasil durante os próximos três anos, trazendo recortes da maior coleção de arte contemporânea africana do mundo – pertencente à Fundação Sindika Dokolo, de Angola.

Pinturas, desenhos, gravuras, vídeos, fotografias, esculturas, vestimentas e instalações somam mais de 100 obras que vão circular pelo País até 2014. Na mostra Transit Salvador, 31 obras de 11 dos mais importantes artistas africanos – Abdoulaye Konaté, Bili Bidjocka, Ihosvanny, Ingrid Mwangi, Minnette Vari, Mounir Fatmi, Ruth Sacks, Samuel Fosso, Seydou Keita, Tracey Rose e William Kentridge – ficarão expostas no Casarão e na Capela do MAM. Além deles, integram a exposição os trabalhos do artista visual norte-americano Nick Cave e dos europeus Robert Hutter, Yinka Shonibare e Loulou Cherinet, que mantêm estreita relação com a diáspora africana.

No mesmo dia da abertura, às 17h, Daniel Rangel e Fernando Alvim estarão no Encontro com os Curadores, evento aberto ao público que acontece no Cinema do MAM, para uma conversa sobre a concepção da mostra e as obras que serão expostas. De acordo com Daniel Rangel, a proposta de Transit é explorar a estética dos artistas e mostrar a heterogeneidade presente na produção africana atual. “Nós não negamos as origens da arte africana, mas queremos possibilitar novas abordagens e inserir outras referências no imaginário das pessoas”, ressalta Rangel. As obras escolhidas já participaram de importantes exposições, entre elas África Remix, em Paris, uma das primeiras no mundo a abordar novos olhares em relação à arte contemporânea africana.

MAM-BA divulga programação para público infantojuvenil

O Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) realiza uma programação especial para o público infantojuvenil até fevereiro de 2012. Oficinas e atividades educativas, integradas às exposições que estão em cartaz no museu, vão reunir crianças, jovens e adultos e proporcionar o conhecimento das obras de arte através do lúdico. Para participar, basta se informar sobre os dias e horários das oficinas e realizar a inscrição gratuita no local, 30 minutos antes do início da atividade.

Todas as tardes, de terça a domingo, acontecem as (1) Oficina de Postais (das 13h30 às 15h), voltada para a criação de postais a partir dos símbolos presentes na obra de Rubem Valentim; (2) Do Bi ao Tri – Construindo com Simetrias (das 15h às 16h30), com o foco na criação de totens de papel, utilizando o desenho livre e a simetria como ferramentas; e (3) Jogos e Brincadeiras (das 13h às 18h), que traz quebra-cabeças com obras dos artistas, montagem de cubos de madeira e caixas-desafio, entre outros. Todas estas atividades são voltadas para jovens e crianças a partir de 8 anos de idade.

Aos domingos, a arte educadora e contadora de histórias Maju Fiso reúne interessados de todas as idades na atividade Contação de Histórias e Mitos Africanos e Indígenas, das 15h às 17h. Estas ações pretendem aproximar o público da produção de Rubem Valentim, reafirmando a importância que sua obra possui para o cenário das artes visuais brasileiras.

Também aos domingos, o pátio do museu recebe as atividades permanentes Pinte no MAM (das 16h às 18h), para todas as idades, e Redes Mágicas (15h às 18h), para crianças a partir de 4 anos. Às quintas-feiras, as crianças a partir de 10 anos podem participar da Oficina Experimental de Criação Plástica, das 15h às 17h, e vivenciar o processo de criação, utilizando formas visuais e objetos do cotidiano, a partir dos elementos utilizados na obra de Almandrade. Assim como as atividades diárias, esta oficina acontece no Laboratório Experimental Plástico Visual, na Galeria 1 no MAM-BA.

MAM-BA traz recorte da produção de Almandrade

O arquiteto e artista baiano propõe uma releitura de sua obra na exposição Almandrade. Um olhar do artista sobre seu trabalho. Com 14 peças, a mostra explicita ao público qual visão Almandrade possui de sua produção de praticamente quatro décadas. Desenho, objeto, escultura, gravura, serigrafia e pintura são algumas das técnicas utilizadas pelo artista nessa mostra, que fica em cartaz no Museu de Arte Moderna da Bahia a partir de 16 de dezembro e se estende até 12 de fevereiro de 2012.

Dedicar um olhar atento para sua própria obra, sobretudo quando já possui uma produção extensa, é função de todo artista contemporâneo. Almandrade defende este pressuposto e propõe essa exposição como um exercício curatorial, a partir de seus trabalhos realizados para épocas e suportes diferentes e que integram a coleção do MAM-BA.

A mostra do artista compreende as primeiras experimentações da arte contemporânea na Bahia, em meados da década de 1970, e se estende até sua produção atual, explicitando quais princípios e critérios o direcionaram para uma opção estética específica. “Trabalhos de várias épocas, sem uma perspectiva histórica, mostram fases diferentes e, relacionados em uma sala de exposição, propõem novas interrogações”, pontua Almandrade.

Das seis obras do artista que compõem o acervo do MAM-BA, apenas uma não compreende a exposição atual de Almandrade. Em sua concepção, as 14 obras “sugerem leituras e diálogos dos trabalhos entre si, o que faz parte do acervo e o que não faz”. O artista volta ao MAM-BA onze anos após sua última exposição. De fato, esta será a terceira mostra que realiza no museu, sendo a primeira em 1980 e a outra em 2000.

O Sacrifício do Sentido inaugurou não apenas sua participação no MAM-BA, mas representou a primeira exposição individual de arte contemporânea de um artista baiano no museu. A mostra compreendia seus trabalhos realizados entre 1975 e 1980, “marcados principalmente pela arte conceitual que dominou a década de 70, e uma herança construtiva. Desenhos, objetos e instalação, sem cor, preto e branco”, conforme aponta.

Este é o mad!

Mad: descansando à sombra das árvores, no jardim do Palácio

No vídeo Bicho Geográfico – de Caetano Dias – que está sendo rodado desde sábado no Palácio da Aclamação, ele representa a terra, as forças não civilizadas, a amizade mais primitiva, mais profunda ou quase inconsciente dos nativos ou mesmo dos europeus na gênese de nossa colonização. Mas, longe das câmeras, é simplesmente o Mad: um adorável Pastor Belga Malinois de três anos de idade que hoje, no intervalo das gravações, aproveitou para descansar  à sombra das árvores no jardim do Palácio.

Os outros ângulos de Mad

“Ele chegou em minhas mãos com um ano de idade, muito maltratado. Hoje está super recuperado e me dando muitas surpresas. Não imaginava que ele poderia fazer esse papel tão bem, pois é uma cão de ataque”, explica Make, dono do Mad e adestrador de cães – esse que está logo abaixo, cheio de orgulho.

Make e Mad

A videoinstalação Bicho Geográfico  será lançada no dia 28 de setembro e ocupará os salões do Palácio da Aclamação.

Visita ao ‘QG’ de Caetano Dias

– “Pelo ritmo daqui, o dia foi cheio hoje, né?”
– “Meses dias e horas cheias. É muita coisa pra dar conta”

A exposição Bicho Geográfico só abrirá em setembro, no Palácio da Aclamação, mas Caetano Dias já está totalmente tomado pelo projeto. Aliás, parece mesmo que ele não para! Logo na entrada da sala de produção, no segundo andar de sua casa, lá no Acupe de Brotas, é fácil perceber o movimento frenético de toda a equipe.

“A gente tem que correr, pois estamos no meio das filmagens, viajando muito, ajustando o roteiro. É um processo de criação constante, pois as idéias surgem em todos os momentos… Agora, inclusive”, confirma o artista baiano, filho de Feira de Santana.

detalhes do QG que funciona na casa do artista

“Mas, que Bicho Geográfico é esse?”

“Veja, a idéia inicial da exposição era criar uma pista de skate, forrada com acrílico espelhado, para que o público pudesse  interagir, surfando com os skates. Mas, como artista e como cidadão, repensei tudo por conta da preservação dos bens históricos [refere-se ao Palácio da Aclamação]. Disso tudo, ficou a idéia do site especific e da interação, que agora vai acontecer de outra maneira. Este outro trabalho é o eixo da exposição”

O tal “eixo”, ainda segundo o artista, é a idéia do próprio vídeo – o Bicho Geográfico –  que transcorre a partir de três personagens:

1-     Uma mulher, identificada na gravação, como uma ‘ninfa’ (numa segunda leitura, a revisitação de Catarina Paraguaçu). “também representa o espírito do território da floresta, do patrimônio… A alma de tudo aquilo que deve se preservar. A mulher brasileira, o patrimônio, a preservação, o testemunho desse tempo passado, entre 1500 e os nossos dias”.

2-     Um homem, também sem nome, “é a encarnação do invasor, do europeu que tomou posse da terra, que vem com seu poder modificando tudo e gerando uma nova forma de interpretar e lidar com o tempo. Age como bicho geográfico quando arrebenta as paredes de uma casa e começa a perfurá-la, ignorando portas, janelas, tudo, construindo outra geografia, a partir de outra lógica: a lógica da invasão”.

3-     Um cachorro, “que, de certa forma, representa a natureza, a terra, as forças primitivas, os animais. É como se fosse a amizade mais primitiva, mais básica, mais profunda ou quase o inconsciente tanto dos nativos quanto dos europeus que chegaram”.

Equipe de trabalho do Bicho Geográfico (da esquerda para direita): Carlos Rodrigues/Elieser Bezerra/Caetano Dias/ Wallace Nogueira/Fabiola Aquino/Juliana Brasileiro

Caetano Dias é considerado pela crítica nacional como um dos mais importantes artistas surgidos nos últimos anos na Bahia. Iniciou sua carreira pela intervenção urbana, com realização de pinturas em espaços públicos em Salvador. Atualmente, sua obra não privilegia um suporte ou técnica, trabalhando com vídeo, pintura, obras tridimensionais, instalação multimídia e fotografia digital.

Pausa na entrevista: o artista interagindo com a equipe

Abaixo, registros de alguns trabalhos de Caetano:

"Águas"

"Cidade Submersa"

"Águas"

COPA 2010: DIA 25.06 OS MUSEUS ABREM À TARDE

Foto de Lázaro Menezes

Na próxima sexta-feira, dia 25, os espaços expositivos do IPAC abrirão das 14 às 18h, por causa do jogo da Seleção Brasileira na Copa do Mundo 2010, marcado para 11h30. Apenas a Galeria Solar Ferrão (Pelourinho, Salvador) abrirá a partir das 10h, para que o público possa assistir à partida na exposição “Futebol Arte – A copa por outros ângulos” que, até o dia 11 de julho exibirá todos os jogos do mundial de futebol, a partir de seis vídeo-instalações.

FUTEBOL ARTE – A COPA POR OUTROS ÂNGULOS

No próximo dia 10 de junho [quinta-feira], a partir das 18h, a Galeria Solar Ferrão entra em clima de Copa do Mundo com a mostra Futebol Arte – A Copa por Outros Ângulos. A montagem reúne video-instalações de seis artistas da Bahia e do Brasil – Caetano Dias, Carlito Carvalhosa, Eder Santos, Flavio Lopes, Ieda Oliveira e Joãozito – que vão subverter a transmissão ao vivo da Copa do Mundo a partir de diferentes suportes, ao mesmo tempo em que, numa outra sala, os jogos serão transmitidos ao vivo, num telão, transformando o espaço de arte num ponto de encontro de torcedores de vários países. Nos intervalos entre um jogo e outro, os melhores momentos da seleção brasileira no mundial serão exibidos na mostra. Gratuito. Até 11 de julho. Galeria Solar Ferrão – Centro Cultural Solar Ferrão (Rua Gregório de Mattos, 45, Pelourinho, Salvador). Informações: (71) 3117-6357.

MAM ABRE DUAS EXPOSIÇÕES HOJE (31)

Hoje, às 19h, tem abertura de duas exposições no MAM – Ba: Luanda, Suave e Frenética 2, de artistas angolanos, e Êxtase, do multiartista Marco Paulo Rolla. Av. Contorno, s/nº, Solar do Unhão, Salvador, Bahia. Gratuito. Mais informações: (71) 31176139 / 6141 e http://bit.ly/aZGmsN