Arena Companhia de Artes homenageia a música brasileira no Palácio da Aclamação

Foto: Tess Chamusca

A música de concerto brasileira é o tema da terceira apresentação do Projeto Música no Palácio, que será realizada nesta sexta-feira, 27 de julho, às 18h, com entrada franca. Depois de mostrar ao público trechos corais de óperas famosas e Ave Marias de compositores dos séculos XVI a XX, a Arena Companhia de Artes canta, no Palácio da Aclamação, canções de Villa-Lobos, Chiquinha Gonzaga, Waldemar Henrique, entre outros, destacando sua riqueza rítmica e elementos folclóricos, indígenas e africanos. A atividade conta com o apoio da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia.

O diálogo entre música e dança também enriquecerá a apresentação. Dentre as peças em conjunto que fazem parte do programa, estão “Lua Branca” (Chiquinha Gonzaga), “Uirapuru” e “Foi Boto, Sinhá” (Waldemar Henrique), “Cancioneiro de Lampião” e “Iemanjá Ôto” (Marlos Nobre) e “Nascente” (Flávio Venturini/Mário Antunes). Já entre as músicas solo figuram “Recomendação” e “Xangô” (Babi de Oliveira), “Funeral d’um Rei Nagô” (Heckel Tavares), “Veleiro” e “Acalanto” (Sérgio Bitencourt Sampaio), “Amor em Lágrimas” (Claudio Santoro), “Canção do Poeta do século XVIII” e “Nhapopé” (Villa-Lobos).

A Arena Companhia de Artes é composta pelos cantores Verônica Santos (soprano e professora de Canto da Escola de Música da UFBA), Vanda Otero (mezzo soprano), Carlos Eduardo (tenor), Ramon Sena (baixo), Antônia Bahia (soprano), Eduardo Ferreira (tenor) e Francisco Meira (baixo). Também participam do concerto no Palácio o tenor Leandro Costa e os pianistas Gabriel Garcia e Elisama Gonçalves. Devido à grande aceitação do público, os concertos do grupo no Palácio da Aclamação voltam a acontecer no mês de setembro.

Confira aqui “Um breve panorama da música de concerto brasileira”, escrito por Carlos Eduardo Santos, integrante da Arena Companhia de Artes.

Arena Companhia de Artes promove concerto no Palácio da Aclamação

Foto – Tess Chamusca

Apresentações gratuitas de música lírica em um suntuoso monumento de arquitetura neoclássica que já foi residência oficial dos governadores da Bahia. É o que a Arena Companhia de Artes vem oferecendo ao público de Salvador desde o mês de junho no Palácio da Aclamação. Na 2ª edição do Projeto Música no Palácio, que será realizada no dia 06 de julho (sexta), às 18h, o conjunto canta composições para solo e peças corais sobre o tema mariano no concerto “Ave Maria”. A atividade tem o apoio da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia.

O Grupo irá presentear o público com uma série de Ave Marias, de compositores dos séculos XVI a XX: Jacob Arcadelt (1504-1568), Tomás Luis de Victoria (1548-1611), Giulio Caccini (1551-1618), Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Franz Schubert (1797-1828), Charles Gounod (1818-1893), Giuseppe Verdi (1813-1901), Mozart Camargo Guarnieri (1907-1993), Bonaventura Somma (1893-1960) e William Gomez (1939-2000), dentre outros.

A última apresentação do projeto acontece no dia 27 de julho. As pessoas que forem até o Palácio assistir ao concerto operístico “Cantando o Brasil” poderão apreciar solos e peças em conjunto da música de concerto brasileira, a exemplo das canções de Villa-Lobos, Waldemar Henrique, Marlos Nobre, entre outros. Os concertos contam também com a participação de Elisama Gonçalves (Pianista Co-repetidora do Madrigal da UFBA) e de Gabriel Garcia no piano.

Arena Companhia de Artes – os cantores Verônica Santos (soprano e professora de Canto da Escola de Música da UFBA), Vanda Otero (mezzo soprano), Carlos Eduardo (tenor), Ramon Sena (baixo), Antônia Bahia (soprano), Eduardo Ferreira (tenor) e Francisco Meira (baixo) integram a Arena Companhia de Artes. O conjunto já se apresentou no Espaço Cultural da Barroquinha, em abril deste ano, com a primeira execução da Cantata 106 de J. S. Bach em Salvador, e na Paróquia de Nossa Senhora do Ó, em Paripe, como parte de um projeto de popularização e democratização da música erudita. Também realizou apresentações na Assembleia Legislativa da Bahia, Teatro Espírita Leopoldo Machado e Instituto Feminino da Bahia.

Palácio da Aclamação recebe mostra de teatro

Foto: Viviane Freitas

Nos dias 03 e 04 de julho, às 16h, o Palácio da Aclamação sedia a mostra de teatro Entrefaces: entre tragédias há comédia. Composta por cinco cenas que permeiam o universo da tragédia e da comédia, a mostra é resultado do curso de Direção Teatral, ministrado pelo professor Érico José de Oliveira e desenvolvido com a turma do terceiro semestre da Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia. Com entrada gratuita, o evento visa promover a interação entre museu, teatro e universidade.

Entrefaces: entre tragédias há comédia apresenta cenas adaptadas dos textos Antígona, de Sófocles, Prometeu Acorrentado, de Ésquilo, Rei Lear, de Shakespeare, e O Doente Imaginário, de Molière. Os textos foram escolhidos pelos cinco alunos que integram a turma e assinam a direção de todas as cenas, sendo quatro tragédias e uma comédia. “Além de provocar uma reflexão sobre o quão contemporâneos são esses dois estilos dramatúrgicos, a mostra é uma oportunidade de conferir a estreita relação que existe entre eles”, afirma Vinícius Martins, que, ao lado dos colegas Larissa Lacerda, Railson Oliveira, Sandro Souza e Yohanna Marie Assumpção, realiza o projeto.

O Palácio da Aclamação foi o local escolhido pelos estudantes por conta de suas dimensões físicas, acústica e, principalmente, pelo seu estilo clássico, que faz um diálogo interessante com os textos a serem apresentados. “Os museus são espaços abertos a atividades socioculturais, essa parceria é bem-vinda. Queremos aprofundar essa relação com a UFBA e com outras instituições, somando esforços para que tenhamos programas de qualidade, utilizando diferentes linguagens artísticas”, disse Maria Célia T. Moura Santos, diretora de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia, unidade responsável pelo espaço.

A atividade faz parte de um conjunto de ações planejadas pela Diretoria de Museus do IPAC para dinamizar o Palácio da Aclamação e aproximar os museus da sociedade. As ações que vêm sendo desenvolvidas contemplam públicos de diversas faixas etárias, a exemplo do Projeto Crianças Criando, em homenagem ao mês das crianças, Oficina Papeis Criativos, voltada para o público da terceira idade, e o Projeto Música no Palácio, com apresentações de música erudita.

Palácio da Aclamação recebe espetáculo de dança contemporânea

No próximo sábado (02.06), às 20h, o Palácio da Aclamação recebe o espetáculo de dança MATADOURO, do coreógrafo Marcelo Evelin. A atividade integra a sexta edição do projeto INTERAÇÃO E CONECTIVIDADE, realizado pelo Dimenti, grupo de pesquisa e produtora cultural, que vem se fortalecendo com um importante espaço de encontro para a dança e para a arte contemporânea.

Baseado no romance Sertões, de Euclides da Cunha, MATADOURO fecha a trilogia de Marcelo Evelin (Demolition Inc) iniciada com o espetáculo Sertão (Holanda-2003) e seguida por Bull Dancing (Brasil-2006). A trilogia elabora-se em torno de questões relacionadas a uma identidade territorial e cultural deslocada e ao embate entre racionalidade X animalidade na vida do homem contemporâneo.

MATADOURO investiga o corpo como metáfora de um campo de batalha em que a luta travada entre o oficial e o marginal, entre selvageria e civilidade, entre o território e o mundo globalizado, o lança no espaço subjetivo e intermediário do “entre”. O espetáculo é composto por oito intérpretes que, através de uma ação contínua, incorporam a luta em seu estado limite e arrastam consigo o espaço entre a periferia do Dirceu, a favela da Maré, Auschwitz ou Canudos, acompanhados pelo Quinteto em C Maior de Franz Schubert.

O INTERAÇÃO E CONECTIVIDADE VI teve início no dia 25 de maio, com a residência artística do artista Neto Machado, enquanto que a Mostra de Espetáculos começa hoje (30.05) e vai até domingo (03.06), em diversos espaços da cidade. O Projeto envolve atividades gratuitas ou com preços populares, com ingressos de R$10 (inteira) a R$5 (meia). Confira programação completa no site www.dimenti.com.br/interacaovi.

DIMUS promove oficina de elaboração de projetos para profissionais do setor museológico

Nos dias 05 e 06 de junho, das 9h às 17h, a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) promove a Oficina Elaboração de Projetos Culturais. A atividade será promovida no Palácio da Aclamação com o intuito de instrumentalizar os profissionais da área e as instituições museais para participarem dos editais voltados para o setor, dentre eles, o Edital Setorial de Museus, que está com inscrições abertas até 15 de junho. Com recursos do Fundo de Cultura da Bahia, através do certame, serão investidos R$700 mil no setor, sendo que cada proposta pode receber apoio de até R$ 100 mil.

A oficina será ministrada por Ana Cristina Coelho, museóloga e coordenadora de editais da DIMUS. Interessados devem se inscrever através do e-mail sistema.dimus@gmail.com. As inscrições estão sujeitas à capacidade do espaço. Durante dois dias, os participantes irão aprender como transformar uma ideia em projeto, discutir exemplos de propostas culturais e ter orientações sobre como preencher o formulário de apresentação de propostas. Na oficina, também serão apresentadas informações gerais sobre os editais do Fundo de Cultura da Bahia e esclarecidas dúvidas sobre as mudanças ocorridas no Edital Setorial de Museus.

A partir deste ano, um único edital, sem categorias pré-estabelecidas, abarca todas as propostas do segmento. Assim, inventários museológicos e outros registros que identifiquem bens culturais dos museus; estudos e pesquisas; ações educativas; procedimentos de preservação, conservação e restauração e elaboração de plano museológico são alguns exemplos de projetos que poderão ser apoiados através do edital. Além disso, não há mais uma lista de documentos obrigatórios para a apresentação de propostas. O proponente deve anexar somente o currículo, ficando a seu critério enviar informações que possam contribuir para a análise de mérito do projeto.

No mesmo local, na segunda-feira (04.06), entre 9h e 17h, os 33 articuladores territoriais de museus que atuam nas sete macrorregiões museais do estado e representantes de museus privados, estaduais, municipais e comunitários participam da primeira reunião do Núcleo de Articulação Territorial de Museus da DIMUS de 2012. Na ocasião, serão debatidas as temáticas das oficinas que serão realizadas pelo núcleo em diferentes Territórios de Identidade baianos ao longo do ano. Haverá ainda a apresentação da Rede de Educadores em Museus (REM) e discussão do Sistema Setorial de Museus que compõe a Lei Orgânica da Cultura.

A Bahia será o primeiro estado a receber o projeto Conexões IBRAM

A partir deste mês, o Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM/MinC) percorrerá os estados discutindo novas políticas, instrumentos de gestão e estratégias de financiamento para os museus brasileiros no projeto Conexões IBRAM. Entre os dias 21 e 23 de março, a Bahia sediará o primeiro evento do projeto, que será promovido pelo Instituto em parceria com a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC), unidade da Secretaria de Cultura do Estado.

A ação acontece no Museu de Arte da Bahia (21 e 22.03) e no Palácio da Aclamação (23.03) e tem como objetivo construir uma agenda comum de trabalho e conectar as políticas do IBRAM com as necessidades dos museus baianos. O evento contará com a presença do presidente do instituto, José do Nascimento Junior, e do secretário de Cultura do Estado, Albino Rubim, que assinarão um termo de cooperação para o desenvolvimento de ações conjuntas que contribuam para o fortalecimento, difusão, fomento e o incentivo do setor museológico na Bahia, a exemplo do lançamento de editais.

O Projeto Legado Cultural para o setor museal – megaeventos esportivos, que visa consolidar a temática dos museus na agenda de investimentos do país para a realização da Copa de 2014, é um dos destaques da pauta do evento. Os participantes também terão a oportunidade de discutir temas estruturantes para o setor museal como estratégias de fomento e financiamento, estatuto de museus, patrimônio em risco, pontos de memória e construção de rede de informações museais. Os estados podem ainda sugerir outros tópicos de acordo com suas necessidades específicas, como foi o caso da Bahia, que incluiu a discussão sobre o Programa de Qualificação do IBRAM.

Até o momento, 13 estados estão com eventos confirmados para este ano. Após a Bahia, recebem o projeto o Rio Grande do Norte (18 a 20.04), o Ceará (23 a 25.04) e o Espírito Santo (26 a 28.04).

Interessados devem preencher a ficha de inscrição e encaminhá-la para o e-mail sistema.dimus@gmail.com até 19 de março. Estão sendo oferecidas 150 vagas.

Confira aqui a programação completa do evento.

Fazcultura apóia premiação para festas populares

Foto: Angeluci Figueiredo

Está aberta até o dia 25 de dezembro a votação, via o site www.construindonovasideias.com.br/festejosjuninos, do Prêmio Festejos da Bahia 2011, projeto que valoriza iniciativas dos poderes públicos municipal, estadual e federal, empresários e grupos artísticos e culturais que trabalhem com a temática de festas populares. Neste ano, foram escolhidas as festas juninas e comemorações correlatas realizadas na Bahia.

A iniciativa tem apoio do Fazcultura, programa de isenção fiscal do Governo da Bahia, via Secretaria de Cultura (Secult), com patrocínio da Ambev. De acordo com o produtor cultural e criador do Prêmio Festejos da Bahia, André Reis, o projeto tem 40 categorias de premiação com candidatos julgados por comissão de especialistas das áreas musical e da cultura nordestina. Neste ano, o destaque foi a ‘música nordestina’.

No julgamento, serão considerados a análise sobre o resgate junino e tradição, o apoio às manifestações culturais locais no período, a preservação da identidade local e a programação artística e cultural nessas festividades. Um grande evento no Palácio da Aclamação, em Salvador, anunciará os resultados finais às 19 horas do dia 27 de dezembro, quando será lançado o Prêmio Festejos da Bahia 2012, que será ampliado para todos os festejos baianos da Cultura Popular.

Nos últimos quatro anos, a cultura denominada de ‘nordestina’ tem recebido atenção especial do governo baiano. Está prevista a construção de um museu em Feira de Santana e prepara-se evento para discutir o tema, nacional e internacionalmente. A Setur incentiva festas juninas tradicionais, enquanto o IPAC fez pesquisas para que o Ofício dos Vaqueiros se tornasse Patrimônio Imaterial. O Instituto também iniciou estudos sobre os Penitentes de Juazeiro, manifestação popular religiosa muito encontrada no Nordeste do Brasil.

Projeto Crianças Criando encerra esta semana

Foto: Josias Santos

Quem não teve a chance de participar das oficinas artísticas para o público infantil realizadas em cinco museus vinculados à DIMUS desde o final do mês de outubro, ainda pode aproveitar duas oportunidades. Hoje, 29.11, o artista plástico Anderson Marinho promove oficina de pintura no Palácio da Aclamação. Amanhã, 30.11, acontece a oficina de brinquedo, que será ministrada pela arte-educadora Eliete Teles, no Museu de Arte da Bahia. As atividades acontecem entre 14h e 17h e são voltadas a crianças com idade entre 06 e 12 anos. As inscrições devem ser feitas através dos telefones: (71) 3116-6740 (para oficina no Palácio da Aclamação), (71) 3117-6994 (para oficina no MAB).

Palácio da Aclamação recebe projeto Crianças Criando

Foto: Viviane Freitas

Hoje e nos dias 17, 18 e 29 de novembro, das 14h às 17h, o Palácio da Aclamação sedia uma série de atividades voltadas para o público infantil. O projeto “Crianças criando” inclui a realização de oficinas de pintura, brinquedo, argila e origami. A ação, organizada pelo Núcleo de Ações Socioculturais e Educativas da Dimus (NASCE) em parceria com o Núcleo de Arte Educação do MAM e os Setores Educativos do MAB e Palacete das Artes, visa fortalecer a relação entre o público infantil e os espaços museais.

Cada dia da semana é dedicado a uma atividade específica. Na terça (29.11), acontece a oficina de pintura, que será ministrada pelo artista plástico Anderson Marinho. Hoje (16.11), a arte-educadora Eliete Teles promove oficina de brinquedo. Na quinta-feira (17.11), a artista plástica Adriana Araújo trabalha com a criançada a modelagem em argila. Durante a sexta (18.11), o momento é de aprender a técnica de fazer origami, com a arte-educadora Carolina Vieira. Todas as oficinas serão gratuitas e têm como público alvo crianças entre seis e doze anos. As inscrições devem ser feitas através do telefone (71) 3116-6740.