Palácio da Aclamação

 

O Palácio da Aclamação é um dos mais significativos museus casas de Salvador. Transformado em residência oficial dos governadores da Bahia em 1912, o solar oitocentista passou por obras de ampliação projetadas pelo arquiteto italiano Filinto Santoro e foi ocupado oficialmente pelos gestores do Estado entre 1917 e 1967. Desde então, o espaço já sediou despachos do governador, abrigou visitantes ilustres, a exemplo da rainha da Inglaterra, Elizabeth II, em 1968, e se tornou museu em 1990.

Mobiliários em estilo D. José I e Luiz XV, objetos de bronze, porcelana e cristal, tapetes persas e franceses, além de pinturas de paredes e forros criados pelo artista baiano Presciliano Silva, compõem o acervo do palácio, que é distribuído por dois pavimentos. No térreo, estão situados o Salão Nobre, com monumental lustre de cristal bacarat e bronze, saguão com decoração neoclássica, e Salão de Banquetes. Dormitório, sala de almoço, capela e copa integram o andar superior.

Atualmente, o museu passa por reformas e os espaços expositivos estão fechados para visitação. Em algumas de suas dependências, porém, são promovidos lançamentos literários, apresentações musicais, atividades socioeducativas, feiras e exposições de curta duração.

End.: Av. Sete de Setembro, 1.330, Campo Grande, Salvador (BA).