Igreja de Nossa Senhora dos Humildes recebe a imagem da Padroeira do Brasil

Nossa Senhora da Conceição Aparecida (2)

A Igreja de Nossa Senhora dos Humildes que também abriga o Museu do Recolhimento dos Humildes (Santo Amaro), recebeu no último domingo (10) a imagem peregrina da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Percorrendo diversas igrejas no Brasil, a imagem da santa foi recepcionada na celebração da Santa Missa ministrada pelo Padre Raimundo Mário.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida (3)

“Além da recepção da Padroeira do Brasil, a Igreja dos Humildes tem realizado diversas atividades religiosas da Igreja de Nossa Senhora da Purificação (em reforma pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Nacional). Reformada recentemente, a igreja dos humildes tem abrigado missas, celebrações e diversas atividades em conjunto com a comunidade de Santo Amaro”, explicou a coordenadora de articulação do Museu do Recolhimento dos Humildes, Paola Publio.

Nossa Senhora da Conceição Aparecida (1)

Além da celebração de missas na Igreja dos Humildes, o Museu do Recolhimento dos Humildes promove ainda diversas propostas de educação patrimonial para comunidade. Dentre as atividades previstas para 2019 estão quermesses, oficinas de artes, música, costura, exposições temáticas, saraus, leituras e mostras literárias do Recôncavo, como o cordel e as manifestações artísticas da região.

O museu – Instalado no Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Humildes, em Santo Amaro, o Museu do Recolhimento dos Humildes é datado de junho de 1980. O acervo é de propriedade da Congregação de Nossa Senhora dos Humildes composto por imagens sacras delicadamente ornamentadas pelas recolhidas, além de cristais, pratarias, mobiliário, porcelanas, paramentos, rendas e alfaias (objetos litúrgicos). São cerca de 500 peças datadas do século XIX e tombadas pelo (IPHAN). Já o prédio é tombado como Patrimônio da Bahia pelo IPAC. Por conta de reformas, a expografia não está disponível para visitação, porém o museu segue aberto com atividades de educação patrimonial. O Museu do Recolhimento dos Humildes é administrado por meio de um Convênio de Cooperação Técnica e Administrativa pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Anúncios
Publicado em 1

Museu do Recolhimento dos Humildes promove coral em parceria com a UFRB

Coral Humildes_09.02.19 (1)

O Museu do Recolhimento dos Humildes (Santo Amaro) está oferecendo um grupo de coral em parceria com Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). A atividade é gratuita e aberta ao público. As inscrições podem ser feitas diretamente no museu. O objetivo do coral é promover o aprendizado de um repertório amplo de gêneros variados, com enfoque na música popular e regional brasileira. As aulas de acontecem todas as sextas-feiras das 14h às 17h no Museu do Recolhimento dos Humildes (Praça Frei Bento, 59 – Centro, Santo Amaro – BA).

Coral Humildes_09.02.19 (2)

“O coral humildes propicia aos jovens e adultos a vivência coral, com o objetivo de desenvolver a musicalidade, ampliando o conhecimento sobre a música popular e regional, além de desenvolver a técnica vocal e a afinação”, explicou a coordenadora de articulação do Museu do Recolhimento dos Humildes, Paola Publio.

Coral Humildes_09.02.19 (4)

Além do coral humildes, o museu oferece e promove ainda diversas atividades de educação patrimonial para comunidade; dentre as atividades previstas para 2019 estão oficinas de artes, música, teatro, dança, aula de flauta doce, cineminha, exposições temáticas, leituras e mostras literárias do Recôncavo, como o cordel e as manifestações artísticas da região.

O museu – Instalado no Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Humildes, em Santo Amaro, o Museu do Recolhimento dos Humildes é datado de junho de 1980. O acervo é de propriedade da Congregação de Nossa Senhora dos Humildes composto por imagens sacras delicadamente ornamentadas pelas recolhidas, além de cristais, pratarias, mobiliário, porcelanas, paramentos, rendas e alfaias (objetos litúrgicos). São cerca de 500 peças datadas do século XIX e tombadas pelo (IPHAN). Já o prédio é tombado como Patrimônio da Bahia pelo IPAC. Por conta de reformas, no momento a expografia não está disponível para visitação, porém o museu segue aberto com atividades de educação patrimonial. O Museu do Recolhimento dos Humildes é administrado por meio de um Convênio de Cooperação Técnica e Administrativa pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Maria Bethânia recebe catálogo de expografia do Museu do Recolhimento dos Humildes

IMG-20190202-WA0043

A cantora baiana Maria Bethânia participou na última semana da tradicional da Festa de Nossa Senhora da Purificação, em Santo Amaro. Dentro da festa, em 02/02, a cantora ornamentou (junto com a artista plástica Dinorah Oliveira e a comunidade), a imagem de Santa Bárbara que este ano saiu em procissão do Museu do Recolhimento dos Humildes (também localizado em Santo Amaro) em direção à Santa Casa.

Na ocasião, a cantora recebeu o catálogo de expografia da coleção do museu e ficou bastante emocionada. Bethânia estudou nos Humildes quando criança e o apresenta, inclusive, no premiado filme “Fevereiros” que registra a vitória da escola de samba carioca Estação Primeira de Mangueira em 2016, que teve um enredo homenageando a cantora baiana Maria Bethânia. Além de filmar a escola e os preparativos do barracão, a produção ainda acompanhou a cantora nas festas da Nossa Senhora da Purificação.

Festa de Purificação de Santo Amaro_2019_Humildes (288)

Durante a festa de Purificação de Santo Amaro o Museu do Recolhimento dos Humildes participou de missas, alvorada com queima de fogos, leitura do ofício de Nossa Senhora da Purificação e uma procissão luminosa celebrada pelo Bispo Dom Antonio Tourinho. “A Festa de Purificação de Santo Amaro é um dos eventos tradicionais mais populares da Bahia. A festa atrai todo ano devotos, fiéis e turistas para a cidade. Neste ano, o Museu do Recolhimento dos Humildes acolheu as atividades porque a igreja que representa a festa está em reforma pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)”, explicou a coordenadora de articulação do Museu do Recolhimento dos Humildes, Paola Publio.

Festa de Purificação de Santo Amaro_2019_Humildes (316)

Além da participação na Festa de Purificação de Santo Amaro, o museu promove ainda diversas propostas de educação patrimonial para comunidade; dentre as atividades previstas para 2019 estão quermesses, oficinas de artes, música, costura, exposições temáticas, saraus, leituras e mostras literárias do Recôncavo, como o cordel e as manifestações artísticas da região.

Festa de Purificação de Santo Amaro_2019_Humildes (132)

O museu – Instalado no Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Humildes, em Santo Amaro, o Museu do Recolhimento dos Humildes é datado de junho de 1980. O acervo é de propriedade da Congregação de Nossa Senhora dos Humildes composto por imagens sacras delicadamente ornamentadas pelas recolhidas, além de cristais, pratarias, mobiliário, porcelanas, paramentos, rendas e alfaias (objetos litúrgicos). São cerca de 500 peças datadas do século XIX e tombadas pelo (IPHAN). Já o prédio é tombado como Patrimônio da Bahia pelo IPAC. Por conta de reformas, no momento a expografia não está disponível para visitação, porém o museu segue aberto com atividades de educação patrimonial. O Museu do Recolhimento dos Humildes é administrado por meio de um Convênio de Cooperação Técnica e Administrativa pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Inscrições abertas para os festivais em homenagem ao poeta Castro Alves

Manoel Alcateia, Nadira Rocha e Celine Nascimento, vencedores em 2° lugar do 4º Festival Infantil de Declamação de Poemas de Antônio de Castro Alves

Estão abertas as inscrições para a 18ª edição do Festival de Declamação de Poemas de Antônio de Castro Alves e para o 5º Festival Infantil de Declamação de Poemas de Castro Alves que acontecem gratuitamente todos os anos no Parque Histórico Castro Alves (PHCA), local onde nasceu o poeta baiano em 1847, em Cabaceiras do Paraguaçu, localizada no Recôncavo baiano (a 170 km de Salvador). Os interessados têm até 20 de fevereiro para realizar a inscrição no PHCA e/ou pelo telefone (75) 3681-1102; de segunda a quinta-feira das 9h às 12h e das 14h às 17h.

Magno do Rosário, vencedor do 17º Festival de Declamação de Poemas de Antônio de Castro Alves

Os festivais acontecerão no sábado, 09/03, a partir das 13h; e as premiações serão entregues na quinta, 14/03, data de comemoração aos 172 anos de nascimento do poeta. “Serão dois dias de eventos. Sendo que o dia 14 terá uma programação mais extensa. Sábado (09) serão selecionados os cinco melhores declamadores nas categorias adulto e infantil. Os vencedores deverão se apresentar na quinta-feira”, explica Diogenisa Oliva, coordenadora do PHCA.

PHCA comemora aniversário de Castro Alves em 2018

Na categoria adulto podem se inscrever pessoas a partir de 14 anos completos até data do festival (09/03) e na categoria infantil são válidas crianças de 03 anos a 13 anos. Nas declamações os jurados analisam originalidade (criatividade utilizada para a apresentação do poema), dicção (clareza das palavras pronunciadas na declamação), fluência verbal (correção e a pronúncia das palavras); fidelidade ao texto (exatidão e o respeito a todos os versos e palavras do poema); além do grau de dificuldade do poema declamado pelo candidato. O júri será composto por professores, historiadores, diretores de teatro, escritores e representantes da Diretoria de Museus (Dimus) da Secretaria de Cultura do Estado (Secult-BA).

“A cidade abraça maravilhosamente bem o evento. E as outras cidades vizinhas juntam-se a nós. Passamos o ano todo preparando os festivais. No parque desenvolvemos cursos, oficinas, palestras. Travamos uma batalha para manter viva a memória de Castro Alves, para que a nova geração conheça seus escritos e compreenda a atualidade de sua obra”, ressalta Diogenisa Oliva.

PARQUE HISTÓRICO CASTRO ALVES (PHCA) – Por conta do primeiro centenário da morte de Castro Alves, em março de 1971 foi inaugurado, no lugar onde ele nasceu, o museu biográfico Parque Histórico Castro Alves (PHCA), numa área de 52 mil metros quadrados. O acervo convida os visitantes a mergulharem no universo do porta-voz literário da Abolição da Escravatura no Brasil, através de seus poemas, informações e objetos pessoais dele e familiares. Além do museu, o Parque contém um anexo com sala multimídia, auditório, biblioteca, infocentro, reserva técnica, refeitório e administrativo. Na área de Mata Nativa, os visitantes podem fazer uma trilha e visitarem o Pouso de Adelaide, o Anfiteatro, a “Cruz da Estrada”, a Fonte e o Marco da Fazenda. O público pode ainda usufruir de projetos socioeducativos e anualmente, o Parque também promove o Festival de Declamação de Poemas de Antônio Frederico de Castro Alves. O PHCA integra a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Visitação: terça-feira a sexta-feira das 9h às 12h e das 14h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 13h.

Entrada: grátis

Endereço: Praça Castro Alves, 106, Centro, Cabaceiras do Paraguaçu/BA.

Contato: (75) 3681-1102

Publicado em 1

Museu Udo Knoff promove sessão de fotos paralela à exposição ‘Coroa de Ouro’ de Negra Jhô

sessão de fotos_mostra coroa de ouro_ fotógafro_gilberto mello_udo knoff_23 (1)

Com o objetivo de capturar imagens de turbantes em diversas faces, usos e costumes, o Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho) promoveu na última quarta-feira (23/01) uma sessão de fotos paralela à exposição ‘Coroa de Ouro: Torços e Turbantes de Negra Jhô’ em cartaz até 12/03 no museu.

sessão-de-fotos_mostra-coroa-de-ouro_-fotógafro_gilberto-mello_udo-knoff_23-6.jpg

A atividade foi registrada pelo fotógrafo Gilberto Mello e envolveu nove modelos convidadas pela própria Negra Jhô. “O turbante faz parte da nossa cultura. Não existiria Ilê Ayiê, Filhos de Ghandi e diversos outros blocos afros sem esse adereço. O turbante também representa nossa autoestima e a valorização da ancestralidade”, afirma a artesã.

sessão-de-fotos_mostra-coroa-de-ouro_-fotógafro_gilberto-mello_udo-knoff_23-3.jpg

“O turbante está presente nas religiões de cultura africana, afro brasileira e blocos de afros. O objetivo da sessão de fotos foi promover um olhar mais apurado para este adereço mostrando a beleza, formas de uso e de costumes”, explicou a coordenadora do Museu Udo Knoff, Renata Alencar.

De autoria da cabeleireira, esteticista afro e hair designer Negra Jhô, a exposição ‘Coroa de Ouro: Torços e Turbantes’ foi aberta em 20/11 e fez parte das atividades em comemoração ao Novembro Negro. A expografia é uma parceria com a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) e conta com 21 turbantes estilizados e confeccionados pelo Instituto Kimundo. A exposição pode ser conferida até 12/03.

Filha de Ogun com Iansã, a estilista é conhecida por seus projetos que visam promover a autoestima e o orgulho pela identidade negra por onde passa. Além da exposição, também serão realizadas mediações e oficinas de turbantaria e estamparia afro promovidas pela própria Negra Jhô e pelo setor educativo do museu. No encerramento da exposição, o público poderá apreciar 21 modelos num desfile que mostrará os torços e turbantes da mostra, além de indumentárias produzidas por estilistas e grifes afro-baianas.

Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica – O Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica dispõe de dois ambientes ocupados por materiais referentes à arte da cerâmica e do azulejo. A área inferior expõe as peças criadas pelo ceramista Udo Knoff, além de proporcionar uma visão cronológica da existência do azulejo disposta do século XV ao XX, incluindo sua chegada ao Brasil, no século XVII. O museu integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA). Visitação: terça a sexta, das 10h às 17h; sábados das 13h às 17h. Entrada: grátis. Endereço:Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho – Salvador (BA). Contato: (71) 3117-6389.

Publicado em 1

Museu do Recolhimento dos Humildes participa das atividades da Festa da Purificação de Santo Amaro

convento dos humildes

Em comemoração à Festa da Purificação de Santo Amaro, que acontece de 22/01 a 02/02, o Museu do Recolhimento dos Humildes (também localizado em Santo Amaro) participa em 01/02, às 17h, da missa solene pelas irmandades de Nossa Senhora do Sacramento e Nossa Senhora do Amparo. Em 02/02, encerrando as comemorações, o museu também participa com a comunidade de uma série de atividades relacionadas aos festejos.

Logo às 4h da manhã de 02/02 acontece a alvorada, com a queima de fogos com intuito de chamar os féis para a procissão que acontece em seguida às 5h. Na ocasião, o Convento de Nossa Senhora dos Humildes inicia a leitura do ofício de Nossa Senhora da Purificação. Finalizando as atividades no museu, às 5h30 acontece a benção das velas para a procissão luminosa celebrada pelo Bispo Dom Antonio Tourinho.

“A Festa de Purificação de Santo Amaro é um dos eventos tradicionais mais populares da Bahia. A festa atrai todo ano devotos, fiéis e turistas para a cidade. Neste ano, o Museu do Recolhimento dos Humildes acolhe as atividades porque igreja que representa a festa está em reforma pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional)”, explicou a coordenadora de articulação do Museu do Recolhimento dos Humildes, Paola Publio.

Além da participação na Festa de Purificação de Santo Amaro, o museu promove ainda diversas propostas de educação patrimonial para comunidade; dentre as atividades previstas para 2019 estão quermesses, oficinas de artes, música, costura, exposições temáticas, saraus, leituras e mostras literárias do Recôncavo, como o cordel e as manifestações artísticas da região.

O museu – Instalado no Convento de Nossa Senhora da Conceição dos Humildes, em Santo Amaro, o Museu do Recolhimento dos Humildes é datado de junho de 1980. O acervo é de propriedade da Congregação de Nossa Senhora dos Humildes composto por imagens sacras delicadamente ornamentadas pelas recolhidas, além de cristais, pratarias, mobiliário, porcelanas, paramentos, rendas e alfaias (objetos litúrgicos). São cerca de 500 peças datadas do século XIX e tombadas pelo (IPHAN). Já o prédio é tombado como Patrimônio da Bahia pelo IPAC. Por conta de reformas, no momento a expografia não está disponível para visitação, porém o museu segue aberto com atividades de educação patrimonial. O Museu do Recolhimento dos Humildes é administrado por meio de um Convênio de Cooperação Técnica e Administrativa pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Publicado em 1

Prorrogada a mostra “Coroa de Ouro: Torços e Turbantes” de Negra Jhô no Museu Udo Knoff

mostra de turbantes_negra jhô_udo knoff (4)

Devido ao sucesso de visitação, foi prorrogada até 12/03 a mostra ‘Coroa de Ouro: Torços e Turbantes’ no Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica (Pelourinho). De autoria da cabeleireira, esteticista afro e hair designer Negra Jhô, a exposição foi aberta em 20/11 e fez parte das atividades em comemoração ao Novembro Negro.

mostra de turbantes_negra jhô_udo knoff (5)

A expografia é uma parceria com a Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC) e conta com 21 turbantes estilizados e confeccionados pelo Instituto Kimundo. A exposição pode ser conferida de terça a sexta-feira das 10h às 17h e sábado das 13h às 17h.

mostra de turbantes_negra jhô_udo knoff (2)

“O turbante faz parte da nossa cultura. Não existiria Ilê Ayiê, Filhos de Ghandi e diversos outros blocos afros sem esse adereço. O turbante também representa nossa autoestima e a valorização da ancestralidade”, afirma a artesã Negra Jhô.

mostra de turbantes_negra jhô_udo knoff (3)

Filha de Ogun com Iansã, a estilista é conhecida por seus projetos que visam promover a autoestima e o orgulho pela identidade negra por onde passa. Além da exposição, também serão realizadas mediações e oficinas de turbantaria e estamparia afro promovidas pela própria Negra Jhô e pelo setor educativo do museu. No encerramento da exposição, o público poderá apreciar 21 modelos num desfile que mostrará os torços e turbantes da mostra, além de indumentárias produzidas por estilistas e grifes afro-baianas.

Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica – O Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica dispõe de dois ambientes ocupados por materiais referentes à arte da cerâmica e do azulejo. A área inferior expõe as peças criadas pelo ceramista Udo Knoff, além de proporcionar uma visão cronológica da existência do azulejo disposta do século XV ao XX, incluindo sua chegada ao Brasil, no século XVII. O museu integra os espaços administrados pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (DIMUS/IPAC), da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA). Visitação: terça a sexta, das 10h às 17h; sábados das 13h às 17h. Entrada: grátis. Endereço:Rua Frei Vicente, nº 03, Pelourinho – Salvador (BA). Contato: (71) 3117-6389.

Publicado em 1

Museum Selfie Day

card museum self day 2019 teaser face
As selfies já são um fenômeno cultural de massa. Independentemente do lugar, as pessoas adoram tirar um bom autorretrato para compartilhar nas redes sociais. Por conta disso, em 2014, surgiu a campanha Museum Selfie Day (Dia de Selfie no Museu, em tradução livre do inglês), que este ano acontecerá amanhã (16).
 
A proposta é fazer com que o público tire selfies durante a visita aos museus e divulgue nas redes sociais, usando a hashtag #museumselfie. Assim, espera-se aumentar o engajamento dos visitantes, além de mostrar que os museus são espaços conectados com a tecnologia.
 
Na Bahia, pelo quarto ano consecutivo, nove museus administrados pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (Ipac) participarão da ação, que será estendida até o domingo (20). A campanha é aberta a participação de todos os interessados, que podem postar selfies, usando a hashtag da campanha e marcando o nosso perfil (@ipac.ba) e o perfil dos museus do IPAC!
 
Vale usar toda a criatividade para produzir a selfie, mas sem colocar em risco as obras que estão expostas, certo? As instituições museológicas têm normas próprias que podem ser consultadas nos locais.
 
Quer acompanhar as imagens? Basta clicar na hashtag #museumselfie na sua rede social de preferência.
 
Confira nossos museus: http://www.ipac.ba.gov.br/museus
Publicado em 1