Inscrições abertas para Workshop de Aquarela

Estão abertas as inscrições para o Workshop de Aquarela que será realizado pelo artista plástico Luiz Neto no Museu do Recolhimento dos Humildes, em Santo Amaro, no dia 22 de outubro, das 14h às 16h. Interessados podem fazer sua inscrição no museu, que fica localizado na Praça Frei Bento, s/n. A atividade é gratuita e serão oferecidas 20 vagas. Os participantes deverão levar lápis, borracha e pincéis finos. Mais informações podem ser obtidas com a coordenadora do museu, Paola Publio, pelo telefone (75) 99111-9075.

Até 22 de outubro, o público pode conferir as duas exposições de aquarela que estão em cartaz no museu. Paisagens imaginárias apresenta telas de Luiz Neto. Ele também é curador da coletiva Bahia Água e Cor: do sagrado ao profano, com obras de aquarelistas da Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás e Espírito Santo.

Centro Cultural Solar Ferrão debate impactos da pandemia com alunos da Escola Azevedo Fernandes

No dia 7 de outubro, 22 alunos do 6º e do 7º ano do turno vespertino da Escola Estadual Azevedo Fernandes receberam as museólogas que atuam no Centro Cultural Solar Ferrão, Naiara Assunção e Rejane Paz, e a pedagoga Cristina Melo para um bate-papo sobre a pandemia.

A partir do tema “Reflexão sobre a pandemia e os impactos na vida dos adolescentes”, a conversa teve como foco a ansiedade, o isolamento, o medo e as perspectivas e os sentimentos gerados pelo processo pandêmico. Após o bate-papo, os estudantes foram convidados a expressarem suas emoções em relação ao momento atual através da escrita e de desenhos e suas criações foram reunidas em um mural.

Parque Histórico Castro Alves promove ações para público infantil

Durante o mês de outubro, o Parque Histórico Castro Alves promoverá uma programação especial dedicada ao público infantil. Além de aprenderem de uma forma divertida sobre a importância de preservar a memória, as crianças que visitarem o espaço poderão participar de uma série de atividades a partir do dia 13. 

“Brincando no Parque como no tempo de nossos avôs” ensina aos pequenos brincadeiras que fazem parte do repertório cultural de adultos e idosos, como amarelinha, cantigas e cirandas de roda e capitão. A ação será realizada de terça a sexta, das 10h às 16h. O Projeto Sopa de Letras, que motiva alunos do 1º ao 6º ano do ensino fundamental a lerem, apresenta uma versão um pouco diferente do clássico “Cinderela”. Eliete Teixeira estará ao dispor da criançada para narrar o seu conto de terça a sexta, 10h30 e 15h. No dia 12 de outubro, um vídeo com a narração da fábula será publicado nas nossas redes sociais.

Haverá ainda uma Oficina de brinquedos com garrafinhas de refrigerante no dia 21, às 14h, no auditório do Parque, ministrada por Karina Machado e Eliete Teixeira. Crianças da comunidade de Cabaceiras do Paraguaçu foram convidadas a levarem seu brinquedo favorito para ficarem em exibição em uma das salas expositivas do Parque até o final de outubro. Elas também serão as protagonistas dos vídeos do Projeto Sopa de Letrinhas contando histórias infantis que serão publicadas em nossas redes sociais a partir do dia 18.  

Museus do Ipac estarão fechados no dia 12 de outubro

Na terça-feira, 12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida, os museus vinculados ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) estarão fechados. Durante o fim de semana, estarão abertos, no sábado (09), o Museu de Arte da Bahia e o Palacete das Artes, das 13h às 17h, e o Parque Histórico Castro Alves, das 9h às 13h. Já o Museu de Arte Moderna da Bahia abre no sábado e no domingo (09 e 10), das 13h às 17h.

Live organizada pelo Museu Udo Knoff será realizada na Primavera dos Museus

O Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica realiza, na Primavera dos Museus, a live “O colecionismo de azulejos e a destruição do patrimônio cultural”. A atividade acontece no dia 24 de setembro, às 16h, no instagram @museusdabahia, e conta com a participação da conservadora-restauradora e doutoranda em Arquitetura e Urbanismo pela UFBA, Eliana Mello. 

Quando deslocados do contexto edificado, azulejos se tornam fragmentos, testemunhos de uma arquitetura. Na live, a pesquisadora tratará do prejuízo à preservação do patrimônio cultural causado pela ação de arrancar os azulejos de seus locais de origem para serem mercantilizados como objetos de valor cultural. Eliana investiga a azulejaria de autor que integra a modernidade arquitetônica brasileira, tendo Udo Knoff como seu principal referencial.

Museu do Recolhimento dos Humildes inaugura duas exposições na Primavera dos Museus

O Museu do Recolhimento dos Humildes, localizado em Santo Amaro, inaugura duas exposições durante a Primavera dos Museus. A mostra coletiva de aquarelistas brasileiros “Bahia Água e Cor: do sagrado ao profano” apresenta, a partir de 21 de setembro, composições plásticas diversas que demonstram como a aquarela pode ser explorada para além do que tradicionalmente se atribui à técnica. Por meio de 25 obras, os 18 expositores retratam a importância da religiosidade na Bahia e seus vínculos com a história, cultura, arquitetura e contexto paisagístico do estado. Com aquarelistas da Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás e Espírito Santo e curadoria do artista plástico baiano Luiz Neto, a exposição fica em cartaz até 22 de outubro.

A partir de 24 de setembro, o museu recebe a exposição “Resgate de vestígios e manifestações culturais da Bahia”. Ao longo de dez anos, o fotógrafo e produtor cultural Edson Ferreira acompanhou festividades tradicionais do recôncavo baiano que preservam saberes ancestrais e mobilizam as comunidades. São práticas culturais transmitidas por gerações que o público do museu poderá conhecer através de suas fotografias. Com coordenação da produtora Carol Fonsêca, a mostra fotográfica retrata quatro manifestações culturais baianas – Nego fugido do Acupe, Cheganças e Marujadas, Caretas do Acupe e Baianas da Lavagem da Purificação em Santo Amaro – e pode ser visitada até dezembro. O público também tem acesso às mostras que já estavam em cartaz no espaço: “Paisagens imaginárias”, de Luiz Neto, e “Maquinetas do Convento do Recolhimento de Nossa Senhora dos Humildes”. As exposições estão abertas à visitação de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 16h.

Confira a programação do Parque Histórico Castro Alves para a Primavera dos Museus

Para a 15ª Primavera dos Museus, o Parque Histórico Castro Alves realiza três atividades on-line. No dia 21 de setembro, às 10h, através do conto “Todos juntos com um só objetivo” (Projeto Sopa de Letras), escrito e apresentado por Eliete Teixeira, são abordadas informações sobre a Covid-19 de uma forma lúdica, ressaltando a importância de cada um fazer sua parte. A atividade faz parte do Projeto Sopa de Letras, que estimula a leitura entre crianças e adolescentes.

No dia 22, às 10 horas, a oficina de criação de organizadores (Projeto Baú de Memórias) ensina a prepará-los com material reciclável com o intuito de estimular a criatividade construindo um produto útil. O Projeto Baú de Memórias visa fortalecer os laços com o público acima de 60 anos por meio da valorização de suas memórias.

No dia 24 de setembro, às 10h, será exibido um vídeo com as ações realizadas nos últimos dois anos para continuar preservando a memória, a história e a cultura e dialogando com o público mesmo com as limitações impostas pela pandemia. Os vídeos serão publicados nas redes sociais da Diretoria de Museus do Ipac (@museusdabahia). No museu, permanecem em exibição as mostras “Uma casa sertaneja”, “Representações dos super-heróis negros nos quadrinhos” e a exposição de longa duração com o acervo próprio.

Centro Cultural Solar Ferrão apresenta série de vídeos durante a Primavera dos Museus

Como parte da programação da 15ª Primavera dos Museus, entre os dias 21 e 24 de setembro, o Centro Cultural Solar Ferrão apresenta a série de vídeos “Monólogos: um convite ao recomeço”, que será veiculada no Facebook e Instagram @MuseusdaBahia. 

A partir do tema adotado pelos museus do Ipac, “Museus: reencontros com um novo olhar”, e em diálogo com o tema proposto pelo Ibram, “Museus: perdas e recomeços, os convidados Goreth Dunningham (Brahma Kumaris), Daniel Iberê (Povo Guarani Mbyá), Padre Ronaldo Marques Magalhães (Paróquia de Santo Antônio além do Carmo) e Mãe Ana de Xangô (Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá) abordam o momento que vivemos de reconstrução e luta diante das dificuldades provocadas pela Covid-19 e partilham uma mensagem de esperança. 

Primavera dos Museus do Ipac propõe reencontros com um novo olhar

Indo além da missão de preservar a memória e o patrimônio cultural, diante das perdas sofridas e dos danos causados pela pandemia, os museus tornam-se também um lugar de acolhida e de reflexões que contribuem para a construção de um recomeço. A partir dessa perspectiva e adotando o tema “Museus: reencontros com um novo olhar” que os museus vinculados ao Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) participam da 15ª edição da Primavera dos Museus, evento nacional realizado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), entre os dias 20 e 26 de setembro. Por conta do contexto de pandemia e de reabertura gradual dos museus, parte das ações será promovida nas redes sociais. As atividades presenciais serão realizadas seguindo protocolos de segurança. Os espaços realizam novas exposições, mostra de orquídeas, apresentações musicais, palestras, oficinas, dentre outras ações. A programação completa está disponível neste link.

Para o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, a mobilização promovida pelo Ibram em torno de função social dos museus a partir do tema “Museus: perdas e recomeços” é propícia para fortalecermos a compreensão de que “o museu não é somente um guardião do passado, mas um espaço de construção de futuros melhores”. “Este reencontro com o público, que acontece através de eventos presenciais e on-line, reafirma o museu como lugar de reflexão, de diálogo e aproximação entre a sociedade e seu patrimônio cultural”, complementa o diretor.

Maquinetas do Museu do Recolhimento dos Humildes reúnem criatividade e devoção

O Museu do Recolhimento dos Humildes, em Santo Amaro, apresenta uma parte do seu acervo na mostra “Maquinetas do Convento do Recolhimento de Nossa Senhora dos Humildes”, que pode ser visitada de terça a sexta, das 9h às 16h. Fruto da criatividade de religiosas e recolhidas, que as produziram durante os séculos XIX e XX, as maquinetas são altares confeccionados com papel dourado em caixas de vidro que agregam variados elementos decorativos, como lantejoulas, rendas, laços de fita, ramos de flores em papel e tecido.

Além de serem manifestações de tradições religiosas, nas quais pessoas devotas expõem imagens de santos populares em redomas em busca de proteção divina, as dez maquinetas em exposição no museu atestam a originalidade dessas mulheres. Na publicação “Museu do Recolhimento dos Humildes: dois séculos de história” (2018), o pesquisador Luiz Freire explica que as irmãs utilizaram o aprendizado sobre a costura e o bordado, comuns na educação feminina de conventos e recolhimentos, para desenvolver a arte das maquinetas: “elas criaram um repertório próprio, coerente com as técnicas e materiais de sua cultura, tornando-os o produto da fantasia e da expressão do maravilhoso delicado, diminuto e afetivo feminino”.